Folha Vitória Segunda dose da vacina contra a covid-19 começa a ser aplicada em Vitória e Cariacica

Segunda dose da vacina contra a covid-19 começa a ser aplicada em Vitória e Cariacica

Idosos residentes em instituições de longa permanência e profissionais de saúde que atuam na linha de frente contra a doença estão entre os grupos prioritários

Folha Vitória
Foto: Reprodução/Pexels
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A segunda dose da CoronaVac, vacina contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, começará a ser aplicada na Grande Vitória a partir desta quarta-feira (17). As primeiras cidades a iniciarem a aplicação serão Vitória e Cariacica.

Os grupos prioritários a serem vacinados serão os mesmos que começaram a receber a primeira dose: idosos residentes em instituições de longa permanência (ILP's) — como asilos ou lar de idosos —, profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à doença, população indígena aldeada e pessoas com deficiência que estejam em instituições.

"O público-alvo já foi estabelecido na primeira etapa, que são os idosos de instituições de longa permanência e os trabalhadores de saúde da linha de frente. É um momento importante para garantir a proteção desse público, principalmente daquelas pessoas que já realizaram a primeira dose. A gente precisa manter a segurança dessa vacinação", destacou a gerente de Vigilância em Saúde de Vitória, Arlete Frank Dutra.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde de Vitória (Semus) informou que, do total de 10.751 doses em estoque disponíveis, 7.425 serão destinadas à segunda etapa da aplicação do imunizante. Ainda de acordo com a prefeitura, a segunda dose será aplicada da mesma forma da primeira: as equipes de saúde irão até os locais para imunizar o público prioritário.

Em Cariacica, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) informou que recebeu um lote com 3 mil unidades no último dia 9 e que, até o momento, 7.108 pessoas já foram imunizadas. Segundo a Semus, a prioridade também serão os idosos que moram em instituições de longa permanência e profissionais de saúde.

Ainda de acordo com a Prefeitura de Cariacica, é possível fazer o agendamento por meio do site vacina.cariacica.es.gov.br. Lá existe um espaço para dizer se o paciente é acamado. Se sim, equipes volante da secretaria farão vacinação a domicílio.

Já as prefeituras de Vila Velha e Viana informaram que começarão a aplicar a segunda dose da vacina na quinta-feira (18). Segundo a Secretaria de Saúde de Vila Velha, a segunda dose será aplicada, inicialmente, nos idosos em Instituições de Longa Permanência. Ainda de acordo com a prefeitura do município canela-verde, há previsão para a chegada de novas doses, que serão destinadas à vacinação dos profissionais de saúde. 

A Secretaria de Saúde de Viana também informou que a segunda dose será destinada às pessoas presentes na primeira fase da Campanha de Imunização — idosos e deficientes institucionalizados, funcionários das casas de acolhimento e profissionais da saúde que já receberam a primeira dose da vacina CoronaVac. Ao todo, 640 doses foram disponibilizadas para imunização deste público, segundo a prefeitura.

A Secretaria de Saúde de Viana disse ainda que a segunda dose será aplicada da mesma maneira que a primeira. Ou seja, idosos e deficientes institucionalizados e funcionários das casas de acolhimento nos institutos e os profissionais de saúde nos locais de trabalho.

Na sexta-feira, será a vez de a Prefeitura de Guarapari iniciar a aplicação da segunda dose da vacina, nos primeiros profissionais de saúde que receberam o imunizante. Além disso, a Secretaria de Saúde do município informou que vai continuar a aplicação da vacina nos idosos com mais de 90 anos acamados e realizar a vacinação dos profissionais da saúde que estão afastados do trabalho.

Segundo a Prefeitura de Guarapari, a aplicação da segunda dose nos profissionais de saúde da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ocorrerá entre sexta e a próxima segunda-feira (22). Também na segunda, será aplicada a segunda dose nos idosos residentes em Instituições de longa permanência.

Por fim, nos dias 24 e 25 serão atendidos os profissionais de saúde dos hospitais da cidade e, no dia 25, serão atendidos os profissionais e as pessoas que estão nas residências inclusivas.

Já na Serra, a Secretaria de Saúde informou que imunizou 9.575 pessoas e que iniciará a vacinação da segunda dose a partir da próxima segunda-feira (22).

Primeira dose

A primeira dose do imunizante começou a ser aplicada, no Espírito Santo, no dia 18 de janeiro, um dia depois de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar o uso emergencial da vacina no Brasil. A recomendação é de que a segunda dose da CoronaVac seja aplicada em um intervalo de 14 a 28 dias após a primeira.

A professora da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e pós-doutora em epidemiologia, Ethel Maciel, destacou que respeitar o prazo recomendado pelos laboratórios é essencial para a eficácia da vacina. "Não deixe passar muito tempo, porque a recomendação é para que a gente faça nesse período, de quatro semanas. Então é importante que você compareça na data agendada no seu cartão", orientou.

Leia também:

>> Covid-19: Serra começa a vacinar idosos com 85 anos ou mais a partir desta terça-feira

>> Covid-19: idosos acima de 80 anos poderão ser vacinados até o final de fevereiro no Espírito Santo

>> 'Queremos vacinar 100% dos trabalhadores da Saúde até o início de março', diz secretário

>> Cronograma: veja a ordem de vacinação contra covid-19 dos idosos no ES

Incluídos entre os grupos prioritários a receberem a segunda dose, os idosos que moram em instituições de longa permanência estão ansiosos para, enfim, serem imunizados contra o novo coronavírus. 

A ansiedade não é só por se sentirem protegidos, mas também pela possibilidade de reverem, em breve, parentes e amigos. Em março, completa-se um ano que os portões das instituições foram fechados e os idosos não recebem mais visitas presenciais.

Itamar de Oliveira, de 67 anos, é um desses idosos que não aguenta mais de saudade da família que "adotou" depois dos 60. Ele conta que o contato tem sido só por chamada de vídeo, mas diz que quer logo "aquele abraço".

"O que eu estou com mais saudade é de uma família que me adotou como pai. Mas eu estou louco para dar um abraço na minha filha, no meu genro, nos meus netos. Não vejo a hora de acabar com esse problema e todo mundo ser vacinado", afirmou.

Ainda assim, a epidemiologista alerta: não será de uma hora para outra que os vacinados estarão livres da ameaça. "Depois da segunda dose, ainda temos um período para que o nosso organismo possa nos proteger contra as infecções. Por isso, é muito importante continuar mantendo as medidas de prevenção", ressaltou Ethel Maciel.

Com informações da jornalista Andressa Missio, da TV Vitória/Record TV

Últimas