Folha Vitória Servidor da Serra é preso em operação contra exploração sexual de crianças na internet

Servidor da Serra é preso em operação contra exploração sexual de crianças na internet

Além do servidor público, outro homem foi preso por porte de arma durante a operação. Os dois foram soltos após pagar fiança, uma delas de mais de R$ 60 mil

Folha Vitória
Foto: Divulgação/ Polícia Civil
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Um servidor público da Serra foi preso durante uma operação de combate ao abuso sexual e exploração infantil pela internet. Segundo a polícia, o homem de 54 anos tinha vídeos de crianças armazenados no celular. Além dele, outro homem foi preso por porte de uma carabina.

As prisão ocorreram durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão realizada na última semana pela equipe da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC). A ação faz parte da terceira fase da Operação Predador.

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas pelo WhatsApp? Clique aqui e participe do nosso grupo de notícias!

Os nomes dos suspeitos não foram divulgados. O titular da DRCC, delegado Brenno Andrade, destacou que, durante a operação, o homem envolvido com abusos não quis colaborar. No celular dele, a polícia encontrou vídeos de crianças sendo abusadas, a maioria meninos.

"Na prisão da semana passada, cumprimos um mandado de busca e apreensão na Serra. Ao chegarmos no local, prendemos duas pessoas em flagrante delito. Uma pessoa estava naquele momento armazenado conteúdo de abusos de criança. Ela não quis colaborar, mas com ajuda da equipe da perícia da Polícia Civil conseguimos descobrir a senha do dispositivo e encontramos os vídeos", disse.

LEIA TAMBÉM: Advogado criminalista é morto com dez tiros em condomínio de Vila Velha

De acordo com as investigações, ainda não é possível dizer se o servidor público participada dos abusos que aparecem nos vídeos encontrados no celular dele.

O outro homem preso, de 44 anos, estava com uma carabina calibre 38 e cerca de 50 munições. O suspeito, segundo a polícia, não tinha autorização para o porte da arma. 

"É uma arma de uso permitido, mas ele não tinha autorização para possuir aquele armamento na residência. Por isso, foi emitido o auto de prisão em flagrante. Ele também tinha cerca de 50 munições", disse o delegado.

Suspeitos foram soltos após pagar fiança

Segundo a polícia, o suspeito preso por conta da arma teve a fiança arbitrada em cerca de R$ 3.600. O homem fez o pagamento e irá responder ao processo em liberdade. 

LEIA TAMBÉM: Mulher é arremessada de carro e cachorrinho morre após acidente

Já o suspeito preso com os vídeos teve a fiança arbitrada em mais de R$ 60 mil. De acordo com o delegado, o valor é o mais alto já arbitrado pela unidade. O suspeito pagou e também irá responder em liberdade.

"Em função da gravidade, foi fixado uma fiança de R$ 60.600. Ele pagou a fiança e foi colocado em liberdade. Essa é a maior fiança já arbitrada pela unidade de Crimes Cibernéticos até hoje e foi a primeira vez que vimos alguém pagar uma fiança tão alta. Isso não significa que ele não irá responder. Ele vai responder", frisou o delegado.

LEIA TAMBÉM: Guilherme de Pádua morreu no aniversário de estreia da novela de Glória Perez

A Operação Predador tem como objetivo combater os crimes de abuso sexual e exploração infantil pela internet. Outras três pessoas já foram detidas. A polícia comprovou que, duas delas, tinham algum tipo de ligação com as vítimas.

A Secretaria de Administração e Recursos Humanos da Serra informou que, até esta segunda-feira (07), não foi notificada sobre a investigação policial.

Últimas