Setembro Roxo: fibrose cística afeta uma a cada 10 mil pessoas no Brasil

Doença ainda desconhecida pela população, o que acaba dificultando a busca pelo tratamento e diagnóstico correto

Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Patologia pode ser identificada logo após o nascimento do bebê, por meio do teste do pezinho. 

Entre as principais funções da saliva está a de proteger a boca contra bactérias, fungos e vírus. Mas, caso a área esteja contaminada, é possível que ela atue como meio de transporte desses microrganismos infectando outras pessoas. Uma forma muito comum de transmissão é pelo beijo, porém, Márcia Gabriella Barros Mule, especialista em radiologia odontológica e saúde pública, afirma que as gotículas projetadas de saliva durante a fala também exercem esse papel de contaminação.

Por isso, setembro é considerado o mês nacional de conscientização da fibrose cística. A especialista fala também que é uma doença ainda desconhecida pela população, o que acaba dificultando a busca pelo tratamento e diagnóstico correto. “A orientação para quem tem essa doença é visitar o dentista a cada 3 meses, além de uma boa escovação e higienização após as refeições”, orienta.

A fibrose cística, também chamada de doença do beijo salgado, é genética, ainda não tem cura e atinge um em cada 10 mil nascidos vivos no país. A pessoa já nasce com a doença e pode ser detectada logo no nascimento, com o teste do pezinho, entre o terceiro e o sétimo dia de vida. A conscientização é fundamental para garantir o diagnóstico precoce e, com isso, o tratamento adequado ao longo da vida do paciente, diminuindo os seus efeitos sobre o organismo.