Folha Vitória Setor de entretenimento no ES cancela evento teste para 1,5 mil pessoas em Vitória

Setor de entretenimento no ES cancela evento teste para 1,5 mil pessoas em Vitória

Sem expectativa de um plano de retomado do Estado, empresários desistem de organizar festa em que seria exigido comprovante de vacinação contra a covid-19 e testagem do público

Folha Vitória
Foto: Reprodução/ Twitter
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Empresários do setor de eventos cancelaram um evento-teste que seria realizado para 1.500 pessoas, em Vitória, este mês. A ideia da regional capixaba da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape) era avaliar com a festa, protocolos de segurança contra a covid-19 e preparar a retomada das atividades, paralisadas há mais de um ano devido à pandemia de covid-19. 

Pelo projeto, quem fosse à festa deveria apresentar comprovante de vacinação e seria testado posteriormente contra covid. "Nosso plano de retomada, que incluía estimativas relacionadas ao avanço da vacinação e o aumento do número de pessoas nas atividades culturais com acesso mediante ingresso, havia sido negado pelo Estado na última sexta-feira (16). Isso mais de 60 dias depois que foi apresentado. Com essa negativa, os associados entenderam que fazer um evento-teste não teria mais sentido pois não houve uma contrapartida por parte do governo estadual em assumir também essa atividade", explicou o diretor regional da entidade, Pablo Pacheco.

Segundo Pacheco, a realização da atividade controlada daria informações e incentivo para que o Estado preparasse um calendário de volta com mais rapidez. "Nossa expectativa é que este mês, com 50% da população adulta capixaba vacinada ao menos com a primeira dose, teríamos mais informações com este evento-teste para reforçar a decisão de que poderia haver um aumento gradativo de público nessas atividades", aponta. "Mas não houve uma reunião com os técnicos do poder estadual conosco e isso desanimou os empresários", explica.

Em seu entender, o quarto trimestre vai chegar com praticamente toda a população adulta do Espírito Santo vacinada. "E o setor vive angustiado pois não há da parte do Estado uma expectativa de que teremos mudanças nas regras de um setor que foi muito castigado na pandemia", lamenta. 

Setor reclama que não houve avanço

Segundo a Abrape, com a proibição no último ano de shows e festas mediante ingresso no Espírito Santo foram 10 mil empregos diretos perdidos, 4.500 microempreendedores sem fonte de renda e 1000 empresas com caixa afetado. Ele contabiliza que o setor, no Brasil, deixou de movimentar R$ 1,8 bilhão no ano passado.

Para Pacheco, as últimas alterações anunciadas pelo governador Renato Casagrande que amplia o público de eventos sociais de 300 para 600 pessoas a partir de agosto não contempla o setor. "Reconhecemos que houve um avanço para eventos sociais, onde não é exigido pagamento de entradas e ingressos, mas no nosso campo não houve progresso algum", lamenta.

Outro lado

A Secretaria de Estado de Turismo foi procurada para comentar a decisão dos empresários que desistiram de executar um evento-teste em Vitória. Por meio de nota, a pasta respondeu que o Governo do Estado tem a intenção de realizar um evento teste, com base científica. "Não há definição de regras e data definida", conclui.

Atualmente, só estão liberados eventos sociais como festas de aniversário, formaturas e casamentos ou reunião com lista fechada de participantes. A capacidade máxima permitida pelo governo estadual é de até 300 pessoas e que irá dobrar no mês que vem. 

Leia também: Eventos sociais no ES poderão ter até 600 pessoas a partir de agosto

Além disso, é necessário que os participantes do evento mantenham um distanciamento de uma pessoa a cada cinco metros quadrados. São permitidas apresentações musicais mas pista de dança está proibida.

Últimas