Folha Vitória Sinal de alerta! Mais de duas casas pegam fogo por dia no Espírito Santo

Sinal de alerta! Mais de duas casas pegam fogo por dia no Espírito Santo

Durante a pandemia, o número de incêndios cresceu em todo o estado

Folha Vitória
Foto: TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Um levantamento do Corpo de Bombeiro aponta que de janeiro a outubro deste ano foram registrados 657 casos de incêndio em casas e apartamentos no Espírito Santo. O número representa uma média de 79 por mês, ou seja, mais de duas residências pegam fogo por dia no estado. Segundo o órgão, os casos aumentaram durante a pandemia. 

Além dos cuidados com a rotina da casa, como lavar, passar e cozinha, também é preciso ficar alerta quanto aos sinais que podem prevenir possíveis acidentes. Segundo o Capitão Pedroni, do Corpo de Bombeiros, se atentar a rede elétrica pode evitar tragédias relacionadas ao fogo. 

"A maior causa de incêndios que temos registro são provocados por fenômenos termoelétricos. É preciso ter cuidado, principalmente agora no Natal. Sempre que sair ou for dormir, é preciso desligar os pisca-pisca", ressaltou.

Nos últimos meses, a equipe de Jornalismo da Rede Vitória registrou 12 ocorrências. A mais recente, ocorreu nesta quinta-feira (11), no bairro Jardim Carapina, na Serra. Uma adolescente de 15 anos, e a irmã,  de 4, estavam em casa quando o vizinho, que é bombeiro civil, sentiu o cheiro de fumaça e conseguiu ajudá-ls. 

Em outubro, um menino, de 4 anos, morreu após o apartamento em que ele morava com a família pegar fogo na Praia do Canto, em Vitória. De acordo com o Corpo de Bombeiros, em 2020, esse tipo de registro cresceu. O motivo pode estar relacionado com a pandemia. "A presença das pessoas por um período maior de tempo em casa, pode ser um dos fatores ligados ao aumento", disse. 

São várias as orientações para evitar esse tipo de ocorrências, que vão desde usar os eletrodomésticos da maneira apropriada à educar as crianças. "Muitas pessoas fazem 'gato' na rede elétrica ou colocam várias tomadas ligadas em uma mesma extensão. Isso não é seguro! As crianças também precisam ser instruídas sobre os cuidados com os objetos que podem pegar fogo", explicou o Capitão. 

A Janaina Conceição sabe como é ver a casa destruída pelas chamas. Em setembro, o imóvel que ela morava com o marido e os filhos pegou fogo com todos dentro. O companheiro da mulher ficou com 90% do corpo queimado. Recuperado fisicamente, o homem voltou a trabalhar, mas ficou traumatizado. 

"Ele não chega perto do fogão, com medo. Quando vamos dormir, levantamos várias vezes durante a noite para ter certeza que está tudo desligado", contou Janaina. 

Segundo os bombeiros, o incêndio na casa de Janaina teria sido provocado pela botija de gás que ficava na cozinha. "Hoje a botija nem fica dentro de casa", disse a vítima do incêndio. 

*Com informações da repórter Nathalia Munhão, da TV Vitória/Record TV. 

Últimas