Folha Vitória Situação de prédio interditado em Vila Velha é grave, diz gerente do CREA

Situação de prédio interditado em Vila Velha é grave, diz gerente do CREA

Segundo o órgão, foi encontrada uma diferença muito grande do que está no projeto e o que foi executado

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A interdição de um prédio localizado no bairro Nova Itaparica, na Avenida do Canal, em Vila Velha, mudou a rotina de moradores. A construção corre o risco de cair e, segundo o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA), há uma série de falhas na estrutura e a situação é grave.

No prédio, vigas estão à mostra, colunas danificadas e toda uma estrutura comprometida. As bases de sustentação ficaram assim após um barulho ouvido por moradores do local, que foi evacuado. Durante a manhã desta segunda-feira (25), agentes do CREA e da Dessa Civil avaliaram a construção.

"Houve a identificação de dois pilares, também chamados de colunas, que foram esmagados e entraram em colapso. Ontem mesmo foi feito reforços e escoramentos com aço", explicou o gerente de relação Institucional do CREA, Giuliano Battisti.

Além de vigas insuficientes, a metragem das colunas também não é a correta, de acordo com o CREA. Elas estão mais finas do que o ideal. Os moradores do edifício Santos II ouviram um estrondo na madrugada do último domingo (24) e desde então tiveram que abandonar seus apartamentos. A Defesa Civil isolou o local por conta dos riscos.

A obra é recente e tem cerca de dois anos. Segundo o representante do CREA, a apuracao continua mas, certamente, o projeto apresentado não foi o mesmo executado. "Retornamos hoje para saber se havia acontecido alguma evolução para o desabamento e vimos uma diferença muito grande do que está no projeto e o que foi executado. A estrutura está com execução menor do que foi dimensionado", disse Battisti.

Além desse prédio com falha na estrutura, outros três foram levantados pela mesma construtura nessa mesma rua. Moradores de outros edifícios reclamam de falhas na construção.

Escoras foram colocadas na garagem de forma emergencial, o que permite que os trabalhadores tenham acesso a parte interna para estudar o que precisa ser feito. Ainda não há certeza se o edifício foi condenado ou se haverá uma reestruturação.

O CREA afirma que fiscalizou a obra durante a execução. "Houve fiscalização. Levantamos um histórico da obra e chegou a ser notificado em alguns aspectos da obra. Tudo isso irá ser apontado no relatório de vistoria", explicou.

As famílias do edifício Santos II e de outros da mesma construtura localizados na rua estão em hotéis de Vila Velha. Quem mora ao lado dele também teve que se retirar. Placas da Defesa Civil alertando sobre o risco foram espalhadas por toda vizinhança.

*Com informações da repórter Nathália Munhão, da TV Vitória/Record TV

Últimas