Folha Vitória Suspeito de chefiar tráfico em morro de Vitória é preso e tenta subornar policiais

Suspeito de chefiar tráfico em morro de Vitória é preso e tenta subornar policiais

O homem detido também é suspeito de ter atirado contra policiais durante um patrulhamento no Morro do Jaburu

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O homem suspeito de ser um dos líderes do tráfico de drogas no Morro do Jaburu, em Vitória, foi preso após uma ação conjunta entre Polícia Militar e Guarda Municipal de Vitória. 

Além de ter um mandado de prisão em aberto, ele também é suspeito de ter atirado contra um policial militar na última terça-feira (13).

Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O suspeito é Walas de Sousa Silva, de 31 anos. Ele foi preso quando estava em um carro. O rapaz estava co R$ 4.3 mil em dinheiro.

Ele foi abordado Avenida Fernando Ferrari, próximo à pracinha de Goiabeiras, em Vitória.

"Diante das informações que tínhamos a respeito do veículo, no momento em que ele entrou no município de Vitória, vindo da Serra, o cerco acusou e foi solicitado o apoio da Polícia Militar junto com a Guarda Municipal. Em seguida foi feito o acompanhamento e a abordagem desse veículo", informou o cabo Capucho, da Polícia Militar.

Walas é suspeito de ser um dos líderes do tráfico de drogas do Morro do Jaburu, em Vitória. Outra suspeita é de que este mesmo homem tenha atirado contra policiais militares que faziam um patrulhamento pelo bairro na terça-feira.

Após a troca de tiros, Walas teria fugido para a Serra e nesta quarta-feira (14) decidiu voltar ao bairro. Uma parente do suspeito preferiu não se identificar, mas contou que Walas não teria participado da troca de tiros com a polícia.

"Isso é totalmente errado porque ele não mora no Jaburu. Ele sempre vem me ver e ao filho que mora no Jaburu e depois vai embora", contou.

Ainda segundo o cabo da PM, Walas não resistiu a prisão, mas tentou subornar os agentes. "O cidadão tentou subornar os policiais militares ofertando R$ 4 mil para que o celular não fosse entregue na DHPP. Ele não queria porque o celular é um aparelho envolvido no tráfico de drogas e tudo indica que ele é o braço direito do chefe do tráfico no Morro do Jaburu", afirmou Capucho.

A parente do rapaz disse que o suspeito ficou preso durante cerca de um ano por tráfico, mas que não tem mais ligação com a criminalidade.

*Com informações do repórter Matheus Brum, da TV Vitória/RecordTV

Últimas