Folha Vitória Suspeito de espancar gari até a morte por causa de boato é preso no norte do Estado

Suspeito de espancar gari até a morte por causa de boato é preso no norte do Estado

Suspeito de espancar gari até a morte por causa de boato é preso no norte do Estado

Suspeito de espancar gari até a morte por causa de boato é preso no norte do Estado

Folha Vitória - Cidades 4

Folha Vitória - Cidades 4

Folha Vitória - Cidades 4
Gari foi espancado até a morte em um terreno baldio
Foto: TV Vitória

A policia prendeu, nesta quinta-feira (13), um dos suspeitos de espancar até a morte um gari, em Cidade Pomar, na Serra, no final de agosto deste ano. Lucas Pereira Soares foi preso em São Mateus, no norte do Estado, onde se escondia na casa da sogra.

O rapaz foi preso por uma equipe da Delegacia de Crimes Contra à Vida (DCCV) da Serra, com apoio da DCCV de São Mateus. Segundo a polícia, Lucas era o elo que faltava para desvendar a morte do gari Joel Messias da Silva Mota, de 45 anos, assassinado a pauladas e pedradas em um terreno baldio, no último dia 29 de agosto.

Além de Lucas, três adolescentes, de 15, 16 e 17 anos, já estão apreendidos por envolvimento no crime. As investigações apontam que, ao todo, cinco pessoas agrediram o gari, depois de arrancá-lo de dentro de casa. A polícia ainda procura pelo quinto suspeito, que está foragido.

De acordo com a polícia, o crime foi motivado por um boato que circulou, em agosto, de que Joel estaria fazendo gestos obscenos para crianças da região. No entanto, segundo a apuração da DCCV da Serra, a informação era falsa e quem espalhou o boato foi um dos adolescentes apreendidos.

O delegado Rodrigo Sandi Mori, responsável pelas investigações, ressaltou que o menor fez a fofoca porque Joel teria cantado a namorada dele. Além disso, o delegado esclareceu que a vítima foi morta por cinco agressores e não 20, como chegou a ser mencionado na época. Segundo Sandi Mori, havia muita gente vendo o gari sendo espancado, o que pode ter dado a impressão de mais gente tê-lo agredido.

A investigação apontou ainda que Lucas foi quem tirou a vítima de dentro de casa e a arrastou para o meio da rua. O rapaz admite a ação, mas nega ter dado pauladas ou pedradas em Joel.

O gari foi socorrido em estado grave e chegou a ficar na UTI, mas morreu dois dias depois da agressão. A notícia abalou tanto a familia que uma cunhada da vítima não suportou e morreu dias depois, após sofrer um mal súbito.