Folha Vitória Suspeito de esquartejar homem no sul do ES é preso; corpo da vítima foi jogado no rio

Suspeito de esquartejar homem no sul do ES é preso; corpo da vítima foi jogado no rio

Crime aconteceu em abril deste ano e o suspeito é companheiro da ex-mulher da vítima, Higor Fabiano Rangel

Folha Vitória
Foto: TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Higor Fabiano Rangel foi morto e esquartejado em abril deste ano

Um homem suspeito de esquartejar um morador de Cachoeiro de Itapemirim, no sul do estado, foi preso. Ele é companheiro da ex-esposa da vítima. O crime aconteceu em abril deste ano. 

O rapaz, de 28 anos, foi detido na última segunda-feira (26). Ele é acusado de esquartejar Higor Fabiano Rangel. O corpo da vítima foi jogado em um rio da cidade e só foi identificado por causa de uma tatuagem.

"Ele foi encontrado com cabeça e membros inferiores seccionados. Então, não tinha condição de identificar. Apenas com uma tatuagem no peito com um nome, que conseguimos reconhecer o corpo", explicou o delegado Felipe Vivas.

"A vítima e a companheira dele viviam juntos sob o mesmo teto, mas desde janeiro eles estavam separados. Ela deixava ele permanecer no imóvel, por ser do casal, e porque ele não tinha para onde ir", acrescentou o delegado.

Ainda segundo a polícia, o criminoso confessou o crime. Ele teria dito que matou Higor, porque ele estava ameaçando e agredindo a ex-mulher, mas o delegado não acredita nesta versão.

"Não existe nenhum registro de ocorrência de ameaça ou agressão na delegacia da mulher, então é um argumento que ele utilizou, mas que ainda não tem como confirmar se aconteceu", apontou.

O delegado disse também que as investigações continuam. Agora, a polícia quer saber se outras pessoas estão envolvidas na morte de Higor.

"É um crime muito bárbaro e cruel que, de fato, choca pela insensibilidade, pelo fato de um ser humano ser capaz de fazer um ato tão grave como esse".

O pai da vítima, Marcos Rangel, se sente aliviado pela prisão do assassino, mas o sentimento de revolta ainda é presente.

"A fatalidade que foi feita com meu filho não tem preço nenhum que pague. Eu agradeço aos policiais e a todos pelo o que eles fizeram para prender esse maldito", agradeceu.

* Com informações do repórter Wslley Leite, da TV Vitória/Record TV.

Últimas