Folha Vitória Suspeito de matar vendedor de recicláveis é preso; vítima teria sido morta por dívida de R$ 20

Suspeito de matar vendedor de recicláveis é preso; vítima teria sido morta por dívida de R$ 20

Investigações apontam que, além da dívida, o suspeito teria cometido o crime com a intenção de ganhar prestígio no tráfico de drogas

Folha Vitória
Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Um homem suspeito de ter matado um vendedor de materiais recicláveis, em abril deste ano, no bairro Cidade Continental, na Serra, foi preso pela Polícia Civil. De acordo com as investigações, o crime teria ocorrido por causa de uma dívida de R$ 20.

O rapaz detido é Antônio Vitor de Freitas Carvalho, de 22 anos. Ele é conhecido como "Chuck" e segundo a Polícia Civil  matou o catador de materiais recicláveis, André Luiz de Melo Tomaz, de 31 anos. 

Após ser preso, no mesmo bairro em que o crime ocorreu, Antônio confessou o assassinato aos policiais. O jovem disse que teria matado o catador porque ele estaria denunciando o local da residência dele, para traficantes rivais.

Apesar da confissão, a polícia não acredita que o motivo tenha sido esse. Investigações apontam que a morte de André Luiz tenha sido causada pela dívida de drogas no valor de R$ 20.

"Por volta de duas e meia da manhã, uma testemunha estava passando na região do setor Ásia, do bairro Cidade Continental. Nesse momento, ela viu Antônio, vulgo "Chuck", cobrando uma dívida de drogas do catador. Ele cobra e deixa o catador, André Luiz, ir embora. Quando a vítima sai do local, Antônio chama ele, mas dessa vez com a arma na mão, efetua o disparo na cabeça do catador, ele cai e novamente o suspeito efetua mais dois disparos", informou o delegado Daniel Fortes.

Ainda de acordo com o delegado, segundo a testemunha e as investigações, Antônio tinha a intenção de ganhar prestígio no tráfico de drogas da região, já que ele estaria na base da pirâmide de todo o movimento.

Pelas investigações, o delegado concluiu que a vítima não tinha envolvimento com o tráfico. Segundo a polícia, o catador era usuário de drogas.

"A vítima era trabalhadora, não tinha nenhum tipo de envolvimento com o tráfico de drogas, nem em Lagoa de Carapebus e nem em Cidade Continental, tanto que o horário que ele é abordado é o momento em que ele está voltando com os reciclados que seriam vendidos no dia seguinte. É importante frisar que a vítima utilizava esse dinheiro para sustentar a família, composta pela esposa e cinco filhos, sendo um deles um recém-nascido", apontou.

Antônio Vitor de Freitas Carvalho foi levado para o presídio e indiciado pelo crime de homicídio qualificado.

"Ele já foi encaminhado para o presídio desde o dia 28 de maio, a prisão temporária dele foi convertida em prisão preventiva, então foi um trabalho conjunto entre Polícia Civil, Ministério Público e Poder Judiciário para que conseguíssemos elucidar esse caso e ter ele preso", disse o delegado Daniel.

* Com informações da repórter Milena Martins, da TV Vitória/Record TV.

Últimas