Folha Vitória Suspeito teria começado a estuprar sobrinha após passar para o regime semiaberto

Suspeito teria começado a estuprar sobrinha após passar para o regime semiaberto

De acordo com a Sejus, ele cumpriu pena por tráfico de drogas de 2011 a 2018. Em 2017, época em que os abusos teriam começado, ele teve a pena convertida

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O homem de 33 anos suspeito de estuprar e engravidar a própria sobrinha, uma menina de 10 anos, em São Mateus, no norte do Estado, já foi preso por tráfico de drogas e cumpriu pena entre 2011 e 2018. As informações são da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus).

Ainda de acordo com a Sejus, o suspeito deu entrada no sistema prisional do Estado em maio de 2011 e, em março de 2017, foi beneficiado com a progressão da pena para o regime semiaberto, quando o detento pode trabalhar durante o dia e voltar para a prisão para passar a noite. 

A Sejus informou ainda que o suspeito saiu da cadeia um ano depois da conversão da pena, em março de 2018. De acordo com a secretaria, o homem cumpriu pena em unidades de regime fechado e semiaberto, sendo a última na Penitenciária Regional de Linhares, também no norte do estado.

Após a criança vítima dos estupros dar entrada no Hospital Roberto Silvares, em São Mateus, e ser constatado que ela estava grávida, a menina relatou que o tio a estuprava desde os 6 anos. Portanto, é possível que os abusos tenham começado no período em que o suspeito já cumpria pena em regime semiaberto. 

Em seu depoimento, a criança disse ainda que não havia contado aos familiares sobre os abusos sofridos pelo tio, porque tinha medo, já que, segundo ela, o suspeito a ameaçava.

O inquérito sobre o caso foi concluído na última quinta-feira (13) pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de São Mateus. O tio da menina foi indiciado pelos crimes de ameaça e estupro de vulnerável. Com base nisso, a Justiça expediu um mandado de prisão contra o suspeito, que continua foragido.

De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), policiais civis do norte do Estado fizeram buscas em possíveis endereços onde o suspeito poderia estar escondido, mas ainda não conseguiram localizá-lo. Por nota, a secretaria garante que os trabalhos seguem sem prazo para terminar. 

"A Sesp no que lhe compete, tem empenhado esforços no sentido de localizar o autor do crime e dar cumprimento ao mandado de prisão expedido pela justiça em seu desfavor. A Polícia Civil, por meio da Superintendência de Polícia Regional Norte (SPRN), com o apoio da Superintendência de Polícia Especializada (SPE), tem realizado buscas de forma incansável e sem prazo determinado", informou a Sesp.

A Sesp ressalta ainda que denúncias que possam auxiliar no trabalho da polícia e contribuir para a localização de suspeitos podem ser feitas por meio do Disque - Denúncia 181 ou pelo disquedenuncia181.es.gov.br. O sigilo e anonimato são garantidos. No site, também é possível a pessoa anexar imagens e vídeos de ações criminosas.

Últimas