Folha Vitória Taxa de transmissão da covid-19 no Espírito Santo é a maior em quase um ano

Taxa de transmissão da covid-19 no Espírito Santo é a maior em quase um ano

Atualmente, ela está em 1,53, o que significa dizer que um grupo de 100 pessoas infectadas é capaz de contaminar outras 153. Esse é o quarto aumento consecutivo desse índice, registrado no estado

Folha Vitória
Foto: TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A taxa de transmissão da covid-19 no Espírito Santo é a mais alta registrada em quase um ano. Atualmente, ela está em 1,53, o que significa dizer que um grupo de 100 pessoas infectadas é capaz de contaminar outras 153. Esse é o quarto aumento consecutivo desse índice, registrado no estado, e o maior patamar desde maio do ano passado.

No dia 15 de maio, a taxa de transmissão estava em 1,70 no Espírito Santo Santo. Em 19 de fevereiro, chegou a 0,84, em um momento em que a curva da pandemia estava menor — especialistas consideram como ideal que a taxa esteja abaixo de 1.

A partir de 26 de fevereiro, voltou a ficar acima de 1 e, desde então, não parou de crescer. No dia 5 de março, estava em 1,29; em 12 de março, 1,44; e no dia 19 daquele mês chegou a 1,53.

"Por conta dos eventos de carnaval e também as aglomerações do início de ano, combinadas com o aumento da notificação de síndromes respiratórias, que é um aumento sazonal, e também o efeito da nova variante da covid, especificamente a inglesa, diagnosticada pelo nosso Laboratório Central, essa taxa de transmissão e o contágio aqui no Estado voltou a crescer", destacou o diretor de Integração do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), Pablo Lira.

A atual taxa de transmissão acende um sinal vermelho para os especialistas, já que significa mais gente doente e, consequentemente, mais pressão nos hospitais, que já estão superlotados.

No interior do estado, a taxa de transmissão é ainda maior, chegando a 1,6. Já na Grande Vitória, ela recua um pouco, marcando 1,42, o que ainda é considerado alto. "O interior manteve esse padrão mais intenso de contágio e de registros de casos e mortes. Então o interior ainda permanece com a velocidade de transmissão mais elevada do que a média estadual e da Grande Vitória", frisou Pablo Lira.

Até o final da tarde desta quinta-feira, a taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para o tratamento da covid-19, oferecidos pela rede pública, estava em 92,76%. Dos 1.022 leitos de UTI para coronavírus nos hospitais estaduais e nos filantrópicos e particulares contratados pela Sesa, 948 estavam ocupados. 

Já na rede particular, a taxa de ocupação é de 87,11%, segundo o Painel Leitos da Rede Privada - ES. Das 225 vagas disponibilizadas pela rede privada, 196 estão preenchidas.

Com informações do repórter Álvaro Zanotti, da TV Vitória/Record TV 

Últimas