Folha Vitória Técnicas cirúrgicas 100% a laser dispensam utilização de óculos e lentes de grau

Técnicas cirúrgicas 100% a laser dispensam utilização de óculos e lentes de grau

De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, problemas oculares como miopia, astigmatismo e hipermetropia e presbiopia são os mais recorrentes em adultos e crianças nascidas no Brasil

Folha Vitória
Foto: Reprodução/Pexels
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Se você não tem, provavelmente conhece alguém com algum tipo de problema na visão. Isso porque, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aproximadamente 35 milhões de pessoas no país sofrem de problemas oculares, o que representa 16% de toda a população. Além disso, ainda segundo o IBGE, cerca de 150 mil pessoas têm diagnóstico de cegueira confirmado.

Hoje a visão é utilizada de uma forma muito mais intensa do que há algumas décadas, pois o uso excessivo de telas digitais, além da exposição a ambientes ressecados como o ar-condicionado, exigem mais da nossa qualidade visual. Além disso, doenças sistêmicas como o Diabetes, a Hipertensão, maus hábitos alimentares, tabagismo e utilização de óculos de sol ou de grau falsos, podem ser causadores de vários problemas oculares de acordo com o oftalmologista, Cesar Ronaldo Filho.

Um estudo do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) mostra que a miopia, o astigmatismo, hipermetropia e a presbiopia são motivos de preocupação quando o assunto é saúde ocular dos brasileiros, porque as doenças têm mostrado alta incidência entre o público infantil e adulto, e quando não tratadas podem causar até a cegueira resultando em uma queda significativa da qualidade de vida, baixo desempenho escolar e profissional, além de dificuldades no dia a dia do paciente.

A utilização de óculos e de lentes de grau é realidade para grande parte da população. Com o avanço da medicina e da tecnologia hoje existem cirurgias minimamente invasivas capazes de corrigir os problemas visuais e até mesmo descartar a utilização de óculos e lentes. Um exemplo é a cirurgia refrativa a laser, que atua na correção dos graus, ou seja, dos erros refrativos dos olhos.

O oftalmologista Cesar Ronaldo Filho, relata que existem diferentes formas para corrigir o problema. “Pode-se utilizar o laser e ‘queimar’ diretamente sobre a córnea, também é possível fazer um corte prévio com uma lâmina e depois aplicar o laser, isso favorece o processo de cicatrização, ou podemos associar dois lasers ao mesmo tempo, fazendo a cirurgia de forma muito mais precisa e sem necessidade do uso de lâminas”. Cesar Ronaldo Filho conta que o procedimento é indicado para pessoas com mais de 20 anos que desejam não ter dependência dos óculos e devem ser recomendados por um médico oftalmologista após a realização dos exames oculares.

Métodos

César explica que existem três diferentes métodos disponíveis para a realização das cirurgias:

PRK: Usa-se apenas um tipo de laser para fazer a queima direta do grau sobre a córnea. De acordo com o médico, com este método é possível preservar maior quantidade do tecido da córnea, contudo o processo de cicatrização é mais longo e doloroso. LASIK: “É neste que associamos o uso do laser com as lâminas para fazer a queima na interface da córnea. Este método acelera o processo de cicatrização, mas devido à utilização das lâminas, os cortes podem ser mais irregulares, visto que a lâmina não é tão precisa como o laser”, comentou o oftalmologista. Z-LASIK ou i-LASIK: O método é composto pela utilização de dois lasers, sendo o primeiro deles, o LASER de Femtossegundo realizado por um braço robótico. “A principal vantagem é a segurança da reprodutibilidade e a rapidez desta cirurgia, porque o procedimento dura cerca de 30 segundos”, destacou César.
Além disso, o especialista destaca que com o Z-LASIK, o tempo de recuperação é muito menor que das outras técnicas disponíveis. “Os pacientes normalmente não precisam se afastar do trabalho por longos períodos, e pouco tempo depois conseguem ter uma vida normal, como dirigir, ir a aula, assistir televisão e até mesmo realizar tarefas domésticas”.

Últimas