Folha Vitória Terceira idade: atividade física é fundamental, mas demanda cuidados especiais

Terceira idade: atividade física é fundamental, mas demanda cuidados especiais

Especialista ressalta importância da prática, mas alerta que exercícios de intensidade muito elevada podem prejudicar

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O envelhecimento da população brasileira já é uma realidade. Um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que entre 2012 e 2019 houve um aumento de 29,5% de pessoas pertencentes a este grupo etário.

Nesse contexto, encontrar formas de preservar a qualidade de vida dos idosos se torna cada vez mais uma prioridade, e a prática de atividades físicas exerce um papel importante nesse processo. 

No entanto, especialistas alertam para os cuidados especiais exigidos por essa população. Renata Cristina Magalhães é professora da disciplina Fisioterapia da Saúde do Idoso no Centro Universitário Newton Paiva. Na avaliação dela, deve haver um cuidado especial na escolha da atividade a ser realizada pelo idoso.

 “Como tratam-se de pessoas mais frágeis, existe um risco de que determinados exercícios atrapalhem em vez de ajudar. O ideal é que se busque atividades de intensidade leve e moderada, tais como pilates, dança, hidroginástica e caminhada. Atividades de fortalecimento como a musculação também são recomendadas, desde que sejam supervisionadas”, orienta.

Leia mais: Melhor idade: Veja a importância de cuidar da mente e do corpo depois dos 60

Exercícios na 3ªidade: Entenda por que precisam ser supervisionados por profissionais

A especialista ressalta ainda a importância do acompanhamento de um profissional da saúde para pessoas dessa faixa etária. É a partir dele que devem ser identificadas as demandas e fragilidades específicas. 

Mas ela explica que, mesmo no caso do envelhecimento saudável - ou seja, ausência de comorbidades - existe uma perda natural das capacidades cardíacas e respiratórias, podendo resultar em limitações.

Segundo Renata, um dos pontos mais importantes a respeito da prática de atividades físicas por idosos é a instrução adequada. 

“Além das chances de não obter os resultados desejados, fazer exercícios sem o devido acompanhamento pode aumentar o risco de lesões. É importante contar sempre com a presença de um educador físico ou, em casos de limitações pré-existentes, um fisioterapeuta, que possui conhecimento sobre as patologias mais comuns entre esse público”, afirma a professora.

Veja também: Chegou aos 60? Veja como sair do sedentarismo e manter o corpo ativo

Saiba como a atividade física ajuda no aumento da qualidade de vida dos idosos

A atividade física é recomendada pelos profissionais de saúde em todas as fases da vida, mas na terceira idade ela adquire um papel fundamental. 

“Com o envelhecimento há um declínio funcional. A pessoa perde massa muscular, condicionamento e capacidade respiratória. O exercício é uma alternativa para compensar essas perdas e manter o idoso ativo e saudável pelo maior tempo possível”, analisa Renata.

A professora chama atenção ainda para o fato de que quem possui o hábito de se movimentar obtém melhoras na qualidade de vida e na saúde mental, principalmente em atividades em grupo que permitem a socialização. 

Além disso, os exercícios ajudam na manutenção da força e do equilíbrio, tornando-se aliados importantes na prevenção de quedas.

Últimas