Terceiro estrangeiro com mais gols pelo Santos, Carlos Sánchez mira marca de Copete

Sánchez chegou aos 18 gols, deixando para trás o colombiano Molina, que foi 17 vezes às redes com a camisa do Santos

Foto: Reprodução / Instagram
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O gol de pênalti marcado por Carlos Sánchez, no último domingo, contra o CSA, abriu caminho para o Santos encerrar uma série de quatro tropeços no Campeonato Brasileiro e também foi importante para o meio-campista uruguaio. Afinal, o colocou como terceiro maior artilheiro estrangeiro da história do clube.

Sánchez chegou aos 18 gols, deixando para trás o colombiano Molina, que foi 17 vezes às redes com a camisa do Santos. O uruguaio agora mira deixar para trás outros dois sul-americanos: o colombiano Copete, autor de 26 gols, e o argentino Echevarrieta, que fez 20.

O uruguaio, de 34 anos, vem vivendo uma temporada de artilheiro no Santos, tanto que é o jogador com mais gols pelo time em 2019 - 14. Até por isso, se empolga com as marcas alcançadas, embora destaque que as maiores metas são coletivas.

"É lindo saber que estou nesta lista. Seria uma honra muito grande alcançar esse posto e ultrapassar o Copete. Porém, não é apenas um objetivo pessoal que estou buscando no Santos. Penso primeiramente em conquistar coisas no coletivo, como vitórias e títulos. Claro que balançar as redes sempre nos dá mais confiança, mas não é um objetivo que ficarei desesperado para alcançar", disse, ao site oficial do Santos.

Sánchez terá a oportunidade de ampliar seus números no sábado, quando o Santos vai visitar o Vasco, em São Januário, pela 23ª rodada do Brasileirão, time pelo qual sua equipe passou na quarta fase da Copa do Brasil.

"O Vasco é um time qualificado e vem de uma vitória importante jogando longe de seus domínios. Eles são muito fortes jogando em casa, na Copa do Brasil já percebemos isso. Temos que entrar atentos desde o início para vencer. Óbvio que se marcar mais um gol ficarei bem feliz, mas primeiro quero ajudar a equipe dentro de campo e voltar para Santos com o triunfo na mala", afirmou.