Folha Vitória Transexual que teve o corpo queimado recebe alta após ficar dois meses internada

Transexual que teve o corpo queimado recebe alta após ficar dois meses internada

O principal suspeito do crime é o companheiro da vítima

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Após ficar quase dois meses internada, a transexual que teve 80% do corpo queimado recebeu alta do hospital. Andréia Luiza da Silva Machado, de 40 anos, teve o corpo incendiado pelo companheiro no inicio de dezembro. O crime aconteceu na residência do casal no bairro Feu Rosa, na Serra. O imóvel ficou destruído. 

Segundo a polícia, o crime foi motivado por ciúmes. O homem, de 23 anos,  tentou fugir mas acabou preso em flagrante. A mulher estava casada com o suspeito há cerca de três anos. Segundo ela, o homem sempre foi muito ciumento e, quando bebia, ficava agressivo. 

No dia do crime, a vítima foi até a agência bancária sacar o dinheiro do auxílio emergencial junto com o companheiro. Na volta para casa, encontrou um amigo dentro do ônibus e eles começaram a conversar. Após descer do coletivo, o casal decidiu parar em um bar. 

Quando voltaram para casa, o homem teria dito que pegaria o dinheiro do auxílio emergencial para comprar gasolina. O combustível foi usado para jogar na mulher. Andréia foi socorrida pelos vizinhos e levada para um hospital. A casa ficou destruída. 

Apesar das perdas, a mulher agradece por estar viva. "Eu agradeço muito a Deus. Quando eu paro para pensar no que aconteceu, eu fico em pânico, ando para lá e para cá. Fico com pena de mim mesma", desabafou. 

Para conseguir sair do hospital, Andréia teve que enfrentar grandes lutas. Ela ficou entubada e foi colocada em coma induzido. Além dos traumas físicos, ela precisa conviver com os traumas psicológicos. "Não quero ficar saindo assim. Eu era bonitona e agora estou assim. Perdi minha esperança, minha alegria", disse.

Após perder tudo, a mulher conta com doações de vizinhos. Além dos móveis para casa, roupas e alimentos, Andréia precisa comprar os remédios do tratamento. Quem puder ajudar, pode entrar em contato por meio do telefone 99771-0886. 

*Com informações da repórter Marla Bermudes, da TV Vitória/Record TV. 

Últimas