Folha Vitória Turismo ganha fôlego e deve se recuperar nos próximos meses no ES

Turismo ganha fôlego e deve se recuperar nos próximos meses no ES

Muito afetado pela pandemia, o setor ainda tem números negativos na comparação com os anos anteriores

Folha Vitória
Foto: Assessoria Convention
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
No ramo hoteleiro, no auge da crise, a ocupação na Grande Vitória chegou a 30%, no limite do prejuízo

Um relatório trimestral sobre turismo revela uma lenta retomada da atividade no Espírito Santo para os próximos meses, e a expectativa é ainda melhor. Nesta terça-feira (22), o Governo do Estado divulgou o 7º boletim sobre a Economia do Turismo

Fortemente afetado pela pandemia, o setor ainda tem números negativos na comparação com os anos anteriores, mas mostra uma lenta recuperação nos últimos meses. Em contrapartida, o desemprego ainda é maior do que antes da pandemia.

O Centro de Visitação do Projeto Tamar, em Vitória, é um exemplo do impacto da pandemia sobre o turismo. Em 2019, quase 100 mil pessoas foram ao local para ver as tartarugas. No ano passado, o número caiu para 40 mil. E em 2021, até agora, foram pouco mais de 19 mil visitas. A queda reflete diretamente no faturamento. Na lojinha, as vendas caíram 60%.

De acordo com Denise Rieth, bióloga e gestora do Centro Visitação Tamar Vitória, o local depende da visitação para que haja renda. 

"Nós ficamos quatro meses em 2020 e agora em 2021 mais dois meses fechados. Isso impacta muito no faturamento, e a nossa visitação de 2020 em relação ao ano de 2019, nós tivemos apenas 40% de visitação, então isso reduz muito a arrecadação, e todo o trabalho de educação e sensibilização". 

E toda essa situação impacta também nos empregos. Dos 19 funcionários com carteira assinada, hoje são 9. 

"Logo no início da pandemia ficamos com apenas cinco funcionários, então as recontratações vem sendo feitas com essa nova visitação e seguindo todas as medidas de segurança necessárias", explicou o oceanógrafo Rafael Kuster.

A pandemia provocou uma onda de demissões no setor de turismo, e no Espírito Santo não foi diferente. Em 2019, 178 mil pessoas trabalhavam em atividades ligadas ao turismo. Em 2020, o número caiu para 132 mil. A novidade é que em 2021, aos poucos, os empregos estão sendo retomados. No 1º trimestre do ano, foram abertos 5 mil postos de trabalho no estado.

Os dados são do Boletim do Turismo, divulgado nesta terça-feira (22). Entre janeiro e março, comparando com os últimos 3 meses do ano passado, houve aumento de quase 2% na procura do Espírito Santo como destino turístico. Mas quem veio gastou menos dinheiro, e a receita encolheu 3%. 

Dono de 2 hotéis na orla de Vila Velha, o empresário Evangelus Sakulis também está otimista. Ele chegou a demitir mais da metade dos funcionários no ano passado, mas já recontratou quase todo mundo e espera que, a partir do 2º semestre, a empresa retome o caminho do crescimento.

"Nós já conseguimos recontratar 90% das vagas que acabaram ficando em aberto por conta das demissões. Nós pretendemos no mês de agosto e setembro, ocupar 100% das vagas que tínhamos". 

No ramo hoteleiro, no auge da crise, a ocupação na Grande Vitória chegou a 30%, no limite do prejuízo. No mês de março, fechou em 59%. Para a secretária estadual de Turismo, Denise Loureiro, o 1º trimestre aponta para uma retomada que vai exigir esforço de todos.

"Turismo a gente faz muito com parceria, escuta, envolvimento e 'dar as mãos' sabendo que somente assim nós vamos conseguir dar um salto".  

Com informações de Alex Pandini, da TV Vitória/ RecordTV

Últimas