Folha Vitória Turista mineiro que fraturou braço após tentativa de assalto em Vila Velha fala sobre crime

Turista mineiro que fraturou braço após tentativa de assalto em Vila Velha fala sobre crime

Segundo informações da família da vítima, o turista fraturou o braço quando caiu e estilhaços da bala também atingiram o pulmão

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Três semanas após ser baleado em uma tentativa de assalto na orla da Praia da Costa, em Vila Velha, o turista mineiro Joseci de Oliveira Lima falou pela primeira vez sobre o crime.

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas? Participe do nosso grupo de notícias no WhatsApp ou entre no nosso canal do Telegram!

A vítima pensou que seria atropelado por uma bicicleta. "Eu estava correndo, eles vieram de bicicleta. Eu acho que como ele veio por trás, eu meio que assustei, na verdade, cheguei a jogar os braços nele, como autodefesa. Naquele momento não pensei nem que era assalto", disse Lima.

Câmeras de segurança mostram que Joseci Lima chegou a tentar correr antes de cair, mas ele não se lembra deste detalhe. Já os suspeitos fugiram de bicicleta. Veja:

Relembre o caso

O turista mineiro de 50 anos estava visitando o Espírito Santo quando foi surpreendido pela dupla de assaltantes. Ele foi internado em Vitória, mas já voltou para Minas Gerais para dar sequência ao seu processo de recuperação.

"Estou com uma limitação no braço direito por conta das minhas placas e depois tenho que fazer fisioterapia. Depois do acidente, fiz raio-x para ver se não fica sequela, alguma limitação", contou.

Joseci já tinha vindo ao Espírito Santo outras vezes a trabalho. A tentativa de assalto aconteceu na primeira vez que veio a passeio. O crime teve grande repercussão na época e, apesar do susto, ele não guarda uma impressão negativa do Estado.

Moradores reclamam de crimes parecidos em Vila Velha

As investigações da Polícia Civil chegaram a terceira semana. Na época do crime, a equipe da TV Vitória/Record TV foi ao local e ouviu dos moradores que o calçadão tem sido palco de crimes parecidos.

"Eles ficam mapeando a gente que desce com animal para passear, com nossos filhos. Eles tão soltos e a gente que tá preso. Eu mesmo tenho um cordão de ouro e fico sempre olhando para um lado e para o outro", disse um morador.

A Polícia Civil informou que esse caso segue sob investigação e, até o momento, nenhum suspeito foi detido.

*Com informações do repórter Gabriel Cavalini, da TV Vitória/Record TV

Últimas