Folha Vitória Vacinação de pessoas de 50 a 59 anos com comorbidades deve começar no final de abril no ES

Vacinação de pessoas de 50 a 59 anos com comorbidades deve começar no final de abril no ES

A coordenadora de Imunizações da Sesa, Danielle Grillo, disse que imunização deste grupo deve começar em duas semanas, assim que os idosos acabarem de receber a primeira dose contra a covid-19

Folha Vitória
Foto: Márcia Leal /PMCI
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Mais de 393 mil pessoas compõem o próximo grupo contemplado com a vacina da covid-19 no Espírito Santo. São os pacientes com comorbidades, que têm entre 18 e 59 anos. De acordo com a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações da Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), Danielle Grillo, para vacinar esses capixabas, que fazem parte do maior grupo prioritário para receber a vacina, o critério deve ser feito por idade e de forma escalonada.

“Primeiro precisamos terminar de vacinar os idosos acima de 60 anos. Depois desse público, será a vez das pessoas com comorbidades previstas no Plano Nacional de Vacinação”, disse Danielle. Ainda segundo a secretária, apenas 30% deste público foi imunizado.

Na prática, isso significa que assim que os idosos acima de 60 anos forem vacinados, as pessoas com comorbidades, entre 50 e 59, serão imunizadas.

“Como é um público muito grande, no Estado são pelo menos 393 mil pessoas com comorbidades, possivelmente faremos a vacinação escalonada por idade. Primeiro de 50 a 59 anos, depois 40 a 49 anos e assim por diante”, afirmou a coordenadora.

Previsão para o início da imunização

A previsão é de que essa nova fase da imunização aconteça em, no máximo, duas semanas. “Se tivermos um grande quantitativo de vacinações essa semana, conseguimos concluir a vacinação desse público acima de 60 anos. Mas considerando que é um público muito grande, e levando em consideração o histórico de vacinas enviadas pelo Ministério da Saúde, é provável que vamos precisar de pelo menos duas semanas para concluir”, disse.

Danielle explicou que nem todas as comorbidades são consideradas, é preciso atender ao critério determinado no Plano Nacional de Vacinação. “Tem um público específico. Pessoas com diabetes, cardiopatia, pneumopatia crônica e cirrose, por exemplo”, explicou.

Laudo para comprovar 

Para se vacinar, será preciso comprovar que é portador de alguma das comorbidades listadas pelo Ministério da Saúde. “Vai ser necessário comprovar que apresentam essa comorbidade, levar um laudo médico que ficará retido com o intuito de evitar fraudes. Ou seja, primeiro precisam estar dentro da lista, e depois comprovar”, resumiu a secretária. 

Ouça a explicação da secretária na íntegra: 

Últimas