Folha Vitória Vai um cafezinho? Saiba quanto você pode beber por dia e os benefícios para a saúde

Vai um cafezinho? Saiba quanto você pode beber por dia e os benefícios para a saúde

No Dia Nacional do Café, veja a importância do grão para a economia e também os benefícios para a saúde; bebida já ganhou variações para agradar os paladares dos brasileiros

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O cheiro é irresistível! O aroma agradável conquista até quem não aprecia tanto a bebida. O café faz parte da vida dos brasileiros e, por isso, merece uma data especial. Em 2005, a Associação Brasileira da Industria de Café (ABIC) escolheu o dia 24 de maio para celebrar o Dia Nacional do Café. A data é considerada a mais importante da cafeicultura no país. 

Aquele cafezinho logo que acorda, depois do almoço ou ao longo do dia de trabalho ajuda a despertar não apenas o corpo, mas também a economia. Segundo a ABIC, mesmo em tempos de instabilidade financeira, o café continua fazendo parte da vida dos brasileiros. 

Seja no trabalho, em casa, para receber visitas para um bom bate-papo. Além de bebida, o grão é utilizado no preparo de outras receitas de doces e salgados. Mas muitos se perguntam: o café faz bem ou mal para a saúde? A cardiologista Fernanda Bento esclarece a polêmica. 

"O café tem inúmeros benefícios para a nossa saúde, inclusive para a saúde cardiovascular, nossas artérias e do nosso coração. Ele tem, não apenas a cafeína, mas várias outras substâncias, dentre elas antioxidantes que são muito importantes para a melhora da performance das artérias", explicou.

Quantidade ideal

Seja com um pão quentinho, com um pedaço de bolo ou biscoito, não dá para dispensar um bom café, não é verdade? Mas como tudo na vida, a médica alerta que é preciso ter moderação.

"A orientação dos estudos é para que a gente não ultrapasse 400mg de cafeína por dia, ou seja, de uma até quatro xícaras de café por dia, aquela pequena. Não é a caneca", brincou.

Consumir café em excesso, segundo a especialista, pode provocar o aumento da pressão arterial e arritmias cardíacas.

Depois de ler esta matéria e conhecer um pouquinho mais sobre esta delícia, que tal um cafezinho, hein!? 

Variações da bebida

Apaixonado pelos grãos, João Loureiro escolheu uma profissão que pudesse explorar o seu grande amor gastronômico. Hoje, ele ´´e barista e usa tudo o que já aprendeu sobre o cultivo do café no Brasil para preparar uma xícara saborosa da bebida.

 "Eu tive contato todas as áreas da produção do café, desde a colheita, a torra. Isso me despertou um grande interesse e paixão por todos os processos da cadeia. Entendi que, de fato, o café é um alimento que proporciona grandes valores e momentos", pontou.

Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Além do cafezinho tradicional, aquele preparado no coador de pano ou de papel, a arte de fazer um bom café já ganhou diversas modalidades. Um bom apreciador, como Adailton Laurindo, sabe extrair o melhor da essência para cada tipo de ocasião e, assim, colocar o café em diversos momentos do dia a dia. 

"Tem gente que faz drinks de café. Têm cafeterias que fazem café com leite, com whisky, com conhaque. O café se tornou um produto muito versátil nos últimos anos", ressaltou. 

Segundo a ABIC, o Brasil é o maior exportador de café no mercado mundial e ocupa a segunda posição entre os países consumidores da bebida. O Espírito Santo é o segundo maior estado produtor de café do país, ficando atrás apenas de Minas Gerais, mas é o principal na produção do tipo Conilon.

"Importante para a gente como consumidor e como produtor é compreender que o Conilon não é com produto ruim. A grande produção no Brasil se dá pelo café do tipo Arábica, por ter notas mais doces e frutadas. Mas todo o processo que a gente faz com esse tipo, de colheita seletiva, de beneficiamento em pós colheita, dá para fazer com o Conilon, tornando ele muito especial também", explicou João.

*Com informações do repórter Fábio Gabriel, da TV Vitória/Record TV. 

Últimas