Folha Vitória 'Vamos descontinuar o que estávamos retomando', diz presidente do Sinepe-ES sobre suspensão das aulas

'Vamos descontinuar o que estávamos retomando', diz presidente do Sinepe-ES sobre suspensão das aulas

A partir de segunda-feira, as aulas estarão suspensas em Vila Velha, Serra, e outros 15 municípios do Espírito Santo

Folha Vitória
Foto: Pixabay
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

As aulas presenciais nas redes pública e privada ficarão suspensas em 17 cidades do Espírito Santo, incluindo Vila Velha e Serra, a partir da próxima segunda-feira (15). A suspensão temporária acontece por conta da atual situação dos municípios no novo Mapa de Risco para a covid-19, que evoluíram para risco alto e deverão adotar uma série de restrições. 

Leia também: Mapa de Risco: como fica o funcionamento do comércio, escolas e bares no Espírito Santo?

Durante pronunciamento realizado na noite de sexta-feira (12), o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, explicou que as medidas valem pelos próximos 14 dias, quando será divulgado um novo mapa a partir dos dados de risco da doença nos municípios. 

"Risco alto impõe restrições para academias, atividades de ensino, espaços de lazer, cinemas. Nesses 17 municípios, a atividade de ensino presencial está suspensa. As escolas vão ter que se adequar às atividades remotas, disse Casagrande. 

Em entrevista ao jornal online Folha Vitória, o presidente do Sindicato das Empresas Particulares de Ensino do Espírito Santo (Sinepe/ES), Moacir Lellis, destacou que foi realizado um trabalho para que as escolas entrassem no grupo de serviços essenciais, conseguindo assim, o aval para continuar funcionando independente da classificação dos municípios.

"O Sinepe trabalhou para que a escola fosse considerada atividade essencial, mas não conseguimos. Se fosse considerado, não teríamos que acompanhar o Mapa de Risco. Mas pelas regras, o município considerado risco alto, vai ter que atender o decreto do governador e as escolas não podem ter aulas presenciais. Vamos descontinuar uma coisa que estávamos retomando. Agora foi Serra e Vila Velha, mas não sabemos como será o próximo", afirmou. 

Além dos dois municípios da Grande Vitória, a suspensão das aulas presenciais vai acontecer também em Afonso Cláudio, Águia Branca, Aracruz, Barra de São Francisco, Boa Esperança, Brejetuba, Cachoeiro de Itapemirim, Ibatiba, João Neiva, Muqui, Pedro Canário, Piúma, Presidente Kennedy, Santa Teresa e Vila Pavão. 

Segundo Lelis, atualmente as escolas particulares do Espírito Santo contam com  mais de 300 mil alunos, além de 22 mil funcionários diretos e 60 mil indiretos. Ele destaca também o impacto da suspensão das aula e afirma que as instituições seguem os protocolos sanitários à risca. 

"Nós estamos causando um problema seríssimo à essa geração, à esses jovens e crianças, porque eles precisam socializar. Nas nossas escolas, seguimos essas portarias conjuntas à risca, preenchemos o protocolo de segurança toda sexta-feira. Temos mães e pais querendo saber o que vão fazer com os filhos na segunda-feira. Os pais que trabalham, que têm atividade, como vão fazer?", destaca o presidente do Sinepe-ES. 

Classificação dos municípios
Dos 17 municípios que passaram para o risco alto, 15 estavam em risco moderado e precisarão adotar medidas mais restritivas no comércio, nas atividades de lazer e sociais, além de suspender aulas presenciais nas escolas. 

No atual mapa, nenhuma cidade do Espírito Santo está em risco baixo, situação bem diferente da última semana, quando 41 municípios foram classificados em risco baixo, 36 em risco moderado e apenas um em risco alto. 

Medidas qualificadas - RISCO ALTO

Medidas qualificadas - RISCO MODERADO

Foto: governo do ES
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Últimas