Folha Vitória Variante Delta no ES: 5 casos são em Vitória, um em Guarapari e outro na Serra

Variante Delta no ES: 5 casos são em Vitória, um em Guarapari e outro na Serra

A informação sobre a circulação da variante do Estado foi confirmada pelo governador do Estado, Renato Casagrande, na segunda-feira

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Cinco dos sete casos da variante Delta, do novo coronavírus, confirmados no Espírito Santo, são em Vitória. Em entrevista ao ES No Ar, da TV Vitória/Record TV, nesta terça-feira (10), o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, explicou que os outros dois casos foram registrados na Serra e em Guarapari.  

"São cinco casos reportados no município de Vitória, um no município da Serra e um em Guarapari. Nós, no mês de julho, já levávamos em consideração a possibilidade da variante Delta. Estamos tratando de uma variante que tem transmissibilidade maior do que as outras em circulação", destacou o secretário. 

Saiba mais: ES tem sete casos de variante Delta, confirma governo do Estado

A informação sobre a circulação da variante do Estado foi divulgada no final da tarde de segunda-feira (09), pelo governador Renato Casagrande, em suas redes sociais. 

O secretário de Saúde destacou que há uma preservação da eficácia das vacinas, especialmente para o controle da hospitalização e dos óbitos, contra a variante. No entanto, segundo ele, existe um pequeno escape em casos assintomáticos. 

"A variante Delta tem um escape reconhecido, parcial, para casos sintomáticos, para forma leve da doença e para formas assintomáticas. No entanto, há estudados publicados que falam sobre a preservação para hospitalização e óbitos entre vacinados", destaca. 

Transmissão da variante Delta é mais rápida

Apesar de nenhuma morte ter sido registrada, até o momento, no Espírito Santo, em decorrência de infecção com a variante,  a transmissão da nova cepa já se dá de forma comunitária — ou seja, entre os próprios habitantes — no Estado.

Nésio Fernandes afirmou que a transmissão da variante ocorre em maior velocidade e intensidade. Diante disso, ele reforça a necessidade da população manter os cuidados.

"Ela transmite em uma velocidade e intensidade maior. Sugerem os estudos que a carga viral dos pacientes é superior à carga viral encontrada com as outras variantes. Então, de fato, nós temos a necessidade de incrementar as medidas de interrupção da cadeia de transmissão, para garantir que o Estado não viva um descontrole pandêmico novamente. Por isso, sempre orientamos a preservação do uso de máscaras, o lavar das mãos e testagem", afirmou o secretário. 


Últimas