Folha Vitória Veja como a emissão de laudo está sendo feita na Grande Vitória para quem tem comorbidades

Veja como a emissão de laudo está sendo feita na Grande Vitória para quem tem comorbidades

Municípios adotam ações para facilitar a retirada dos laudos ou receitas de medicamentos nas Unidades Básicas de Saúde

Folha Vitória
Foto: Prefeitura de Cariacica
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A vacinação contra a covid-19 do grupo com comorbidades já começou no Espírito Santo, mas para quem precisa de laudos atualizados para comprovar a doença e depende do Sistema Único de Saúde, o SUS, o processo pode ser um pouco mais demorado. Nas prefeituras da Grande Vitória, algumas ações estão sendo tomadas. 

Em Vila Velha, por exemplo, foi criado um modelo padrão para o enfermeiro poder emitir uma declaração atestando a comorbidade dos moradores que já são acompanhados pela unidade de saúde. Já na Capital, a população poderá usar a receita emitida nos últimos 3 anos do medicamento usado para comprovação. Se não tiver mais, a pessoa pode solicitar reimpressão.

Leia também: Laudos médicos para comprovar comorbidades no ES devem estar atualizados

Emissão de laudos nos municípios da Grande Vitória

Para conseguir as informações atualizadas, segundo o secretário, basta procurar a unidade de saúde. Os municípios da Grande Vitória se organizaram para viabilizar e facilitar a emissão dos laudos. Veja como vai funcionar:

Vitória

A Secretaria de Saúde de Vitória informou que, conforme a resolução nº 048/21 do Estado, como comprovação para a vacinação deverá ser apresentado, além do documento de identificação com foto, o laudo médico ou a prescrição médica ou declaração do enfermeiro do serviço de saúde onde o usuário faz tratamento.

A data do documento comprobatório deverá ser de 2018 em diante, ou seja, dos últimos três anos, para condições permanentes e 90 dias para condições adquiridas e transitórias, por exemplo, gestantes e puérperas. A cópia do documento será retida.

Caso o paciente tenha a receita do medicamento emitida nos últimos 3 anos serve para comprovação. Caso a tenha perdido, pode solicitar reimpressão da última receita na unidade de saúde na qual é cadastrado.

Caso o morador não tenha a prescrição médica pode procurar o enfermeiro da unidade onde faz o acompanhamento para emissão da declaração.

A Semus destaca que, para a emissão da declaração do enfermeiro, laudo médico ou para o aceite da prescrição médica como comprovantes da condição de comorbidade, estes deverão estar de acordo com os critérios estabelecidos no Anexo I, da Resolução nº 048/2021 da CIB.

Vila Velha

O paciente que precisar de laudo deve procurar sua unidade de referência. O enfermeiro poderá emitir uma declaração atestando sua comorbidade e, para facilitar, há um modelo padrão para uso nas unidades de saúde.

Caso o paciente não possua laudo e/ou registro de acompanhamento na unidade, será necessário o agendamento de consulta médica. Se necessário, o médico poderá solicitar exames e/ou encaminhar para um especialista.

Cariacica

A Secretaria Municipal de Saúde de Cariacica informou que quem já foi atendido em uma das 29 unidades básicas de saúde (UBS) do município, pode se dirigir a qualquer uma delas para receber o laudo de sua comorbidade atualizado.

O município conta com o sistema de prontuário eletrônico. Desta forma, o enfermeiro da UBS consegue acesso aos dados do paciente e emite uma declaração da comorbidade existente.

Serra

A prefeitura informou que os laudos podem ser emitidos pelas Unidades de Saúde, após consulta com o médico ou enfermeiro.

Comprovação exigida para a imunização

O critério de priorização foi definido pelo governo do Estado e as prefeituras dos 78 municípios capixabas, a partir da Comissão Intergestores Bipartite (CIB). No estado, segundo estimativas do Ministério da Saúde, serão vacinadas 598.246 pessoas destes grupos, sendo 401.670 de comorbidades, 148.611 pessoas com deficiência permanente e 47.965 de gestantes e puérperas.

No momento da vacinação, deverá ser apresentado um dos documentos abaixo relacionados, além do documento de identificação com foto:

I. Laudo médico;

II. Prescrição médica;

III. Declaração do enfermeiro do serviço de saúde onde o usuário faz tratamento.

Poderão ser utilizados também os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde.

- A data do documento comprobatório deverá ser de 2018 em diante, ou seja, dos últimos 3 (três) anos, para condições permanentes;

- Para condições adquiriras e transitórias (gestantes e puérperas), os serviços de vacinação deverão reter a cópia de comprovação de 90 dias;

Lista das comorbidades

- Diabetes

- Pneumopatias crônicas graves

- Hipertensão Arterial

- Insuficiência cardíaca

- Hipertensão pulmonar

- Cardiopatia hipertensiva

- Síndromes coronarianas

- Valvopatias

- Miocartiopatias e Pericardiopatias

- Doenças da Aorta

- Arritmias cardíacas

- Cardiopatias congênitas

- Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados

- Doença cerebrovascular

- Imunossuprimidos

- Hemoglobinopatias

- Obesidade mórbida

- Síndrome de Down

- Cirrose hepática

Últimas