Folha Vitória VÍDEO | Captação múltipla de órgãos no ES da vida nova para seis pessoas

VÍDEO | Captação múltipla de órgãos no ES da vida nova para seis pessoas

Após autorização da família, foram captados coração, córneas, rins e fígado. Uma equipe médica veio especificamente ao Espírito Santo para captar o coração

Folha Vitória

Uma boa notícia chegou para seis pessoas que aguardam na fila do transplante de órgãos a chance de ter uma vida nova. A equipe do Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, na Serra, realizou na manhã desta quinta-feira (10), mais uma captação múltipla de órgãos.

Em um vídeo, divulgado pela secretaria de Estado da Saúde (Sesa), é possível acompanhar uma pequena parte do trabalho dos cirurgiões, no momento em que captavam os órgãos do doador. 

> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas pelo WhatsApp? Clique aqui e participe do nosso grupo de Saúde!

Segundo a Sesa, os familiares autorizaram a doação. Com isso, coração, córneas, rins e fígado puderam ser captados pela equipe do hospital. Os órgãos doados poderão beneficiar até seis pessoas que aguardam por um transplante na fila para o procedimento.

Para captar o coração, uma equipe de Brasília veio ao Estado especificamente para isso. 

Foto: Divulgação/Sesa-ES
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Em maio desse ano, uma equipe do Hospital Estadual de Urgência e Emergência “São Lucas”, em Vitória, também realizou uma captação múltipla de órgãos. Na época, segundo a diretora do hospital, Cynthia Milanez, foram captados rins e fígado. Todo o procedimento durou cerca de quatro horas. 

Entenda como acontece o processo para a doação de órgãos

Tudo começa com a notificação dos hospitais para a Central de Captação de Órgãos, assim que ocorre o diagnóstico da morte encefálica do paciente.

Em seguida, após passar por criteriosos exames que confirmam a morte encefálica, os familiares são informados por uma comissão especializada em transplantes sobre o ocorrido. Essa equipe, além de dar o apoio emocional necessário para o momento, oferece a possibilidade da doação de tecidos e órgãos.

O processo é composto por uma série de etapas e chega a envolver, em alguns casos, centenas de pessoas.

Os dados do doador, são cruzados com os de todos os dados dos receptores que figuram, primeiro, na lista do estado de origem do doador. Caso não haja ninguém compatível, os órgãos entram para a lista nacional. Identificado o receptor, ou receptores, os médicos são acionados na central de transplantes.

Assim que um receptor compatível é localizado, existe o prazo de uma hora para entrar em contato com o paciente. Ele dever ser encaminhado com urgência para o hospital, onde será preparado para o transplante.

LEIA TAMBÉM: Cigarro eletrônico e sedentarismo bloqueiam avanços em saúde 

Últimas