Folha Vitória VÍDEO | Criança de 7 anos realiza sonho de visitar Quartel da Polícia Militar

VÍDEO | Criança de 7 anos realiza sonho de visitar Quartel da Polícia Militar

O sonho realizado aconteceu como presente de aniversário; o pequeno Bernardo sempre fez questão de falar sobre a paixão pelo trabalho policial

Folha Vitória

Sonhar não tem idade, e para o pequeno Bernardo, de 7 anos, a realização de um deles já começou a acontecer. Sempre apaixonado pelo trabalho dos policiais, neste ano ele decidiu fazer diferente e pediu à família uma visita ao Quartel da Polícia Militar. 

Quem ouviu do próprio Bernardo o desejo de conhecer pessoalmente um Batalhão da Polícia Militar foi o cunhado dele, Bruno Schenerocke Santos de Sousa. Desde que conheceu o pequeno, Bruno percebeu o interesse dele pela atividade policial. 

"Eu tenho contato com o Bernardo há um ano e meio. Durante todo esse tempo,  eu percebi que ele gosta da polícia. Conversando com Bernardo, ele me contou que tem vontade de ser policial e que quando crescer quer entrar na Força Tática. Eu disse que ia ajudar ele a realizar o sonho de conhecer o quartel", contou o cunhado.

Foto: arquivo pessoal
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Após algumas ligações, Bruno entrou em contato com o capitão Schenerocke, que é primo dele, e a visita foi combinada. Durante a visitação, Bernardo não hesitou em fazer perguntas e nem escondeu a emoção em estar tão próximo dos profissionais que tanto admira.

Distância

A distância não foi um impedimento para que Bernardo realizasse o sonho. Ele, que mora no município de Brejetuba, viajou mais de 33 quilômetros com o cunhado até chegar na 2ª CIA Independente, em Afonso Cláudio. A visita aconteceu no último sábado (19) e o aniversário de oito anos do garoto é comemorado no dia 3 de julho.

Foto: arquivo pessoal
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Além das perguntas, Bernardo ainda fez questão de tirar fotos no local, mas sem sorrisos! O olhar sério durante as poses mostram que, mesmo entusiasmado com a experiência, o desejo em atuar na profissão é coisa séria.

Sobre a família, o cunhado contou que no início a ideia trouxe certa preocupação, mas todos apoiam o garoto na escolha.

"A irmã dele tem um pouco de medo por ser uma profissão perigosa, mas todos apoiam e acham legal. Até porque é melhor essa área do que um outro caminho errado", apontou.

Últimas