Folha Vitória VÍDEO | Espécie rara de baleia é vista no mar capixaba pela 1ª vez

VÍDEO | Espécie rara de baleia é vista no mar capixaba pela 1ª vez

Os registros foram feitos pelo Projeto Amigos da Jubarte, responsável pelo turismo de observação de baleias no Espírito Santo

Folha Vitória

Pela primeira vez, uma espécie rara de baleia, considerada a menor entre os mamíferos, foi vista em águas capixabas. As imagens da baleia-minke-anã (Balaenoptera acutorostrata) foram registradas pelo projeto Amigos da Jubarte, responsável pelo turismo de observação dos cetáceos no Espírito Santo.

O registro foi feito pelos pesquisadores do Jubarte.Lab, durante uma campanha de monitoramento por meio de drones para mostrar a diversidade nos mares do estado. De acordo com a publicação feita pelo projeto nas redes sociais, "nem só de Jubartes é feito o mar capixaba". 

Segundo o Amigos da Jubarte, esses registros são feitos por meio do Programa de Monitoramento de Cetáceos do Porto de Tubarão (PMC-PT), criado e executado pelos projetos Amigos da Jubarte/Jubarte.Lab e Golfinhos do Brasil.

O coordenador-geral do projeto, Thiago Ferrari, destacou a riqueza da biodiversidade capixaba, e como isso beneficia a ciência e o turismo no estado. 

"A biodiversidade aqui do Espírito Santo é incrível. Com esses registros, temos uma importância científica. Essa baleia (minke-anã) é uma espécie em que se sabe muito pouco sobre ela, os dados são muito inconclusivos da sua migração. Então, um registro como esse é muito valioso porque podemos ter mais informações". 

O coordenador ressaltou também que a equipe de pesquisa do Projeto Amigos da Jubarte, a partir das imagens registradas por drones, está desenvolvendo e analisando as possíveis origens da espécie vista. 

Foto: Divulgação / Amigos da Jubarte / Lorena Carpes
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

"Nossos pesquisadores estão analisando mais profundamente as imagens pra saber se ela estava dentro do peso que deveria estar, a idade dela e onde foi localizada. Então, conseguimos levantar informações e dados científicos sobre a baleia". 

Além disso, acredita-se que, do ponto de vista turístico, as pessoas irão começar a se interessar pela prática de observação da fauna marinha capixaba que inclui baleias, golfinhos, tartarugas e outros. Thiago Ferrari destacou ainda a oportunidade de geração de empregos. 

"Por meio do turismo de observação de baleias geramos emprego e renda para uma serie de atores da cadeia produtiva do eco turismo, desde hotéis, transporte e etc. Conseguimos desenvolver economicamente nosso estado de forma sustentável". 

Espécie Minke-Anã

Por ser a menor da espécie, o comprimento da baleia-minke-anã macho pode chegar a no máximo 9,8 metros. Já as fêmeas não passam de 10,7 metros. Elas pesam cerca de 10 toneladas e o borrifo, ou seja, o esguicho de ar quente que provoca as gotículas de água, pode chegar a 2 metros de altura. 

De acordo com com o VIVA Instituto Verde Azul, é a segunda menor espécie de baleias. Segundo o site Baleias, no hemisfério sul, onde se localiza o Brasil, há dois tipos de baleias-minke que se diferenciam por sua cor padrão, forma e coloração das barbatanas. 

Últimas