Folha Vitória VÍDEO | Técnico Rafael Soriano pede desculpas a árbitra assistente por agressão

VÍDEO | Técnico Rafael Soriano pede desculpas a árbitra assistente por agressão

O ex-treinador da Desportiva pediu perdão à Marcielly Netto, disse que espera conseguir se desculpar pessoalmente e estendeu o pedido à todas as mulheres

Foto: Reprodução/YouTube TVE
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Três dias após agredir a árbitra assistente Marcielly Netto com uma cabeçada em um caso que repercutiu no Brasil e no mundo, o técnico Rafael Soriano falou pela primeira vez. 

Por meio de um vídeo, o ex-treinador da Desportiva Ferroviária pediu desculpas à bandeirinha da partida entre Nova Venécia e Desportiva, pelas quartas de finais do Capixabão 2022.

No vídeo, o treinador relata que não teve em condições emocionais de falar sobre o caso nos últimos dias. "Os últimos dias não foram fáceis, não tinha a mínima condição de falar. Mas quero vir a público pedir perdão à Marcielly que é a grande vítima da situação", declarou.

"Assim como eu, ela é uma profissional que saiu de casa para exercer o seu trabalho, e não para nos envolvermos em qualquer tipo de problema", continuou Soriano. Em seguida, o técnico disse que espera poder encontrá-la para pedir desculpas pessoalmente.

"Depois de responder a todos os meios que são cabíveis eu possa ter a oportunidade de pedir esse perdão à ela pessoalmente", concluiu.

Por fim, Rafael Soriano também pede perdão à todas as mulheres que sentiram mal pelo caso, à Desportiva (clube que ele comandava na ocasião), à Federação de Futebol do Espírito Santo (FES) e a todos os árbitros.

"Todas as pessoas que me conhecem sabem que sou contra todo tipo de violência, especialmente contra as mulheres. Tenho mãe, irmã, namorada, mulheres que sofreram com tudo isso. Estendo também esse meu pedido à Federação capixaba e à Desportiva, instituições que acabei arranhando um pouco da imagem, e a toda a arbitragem. Tenho grandes amigos árbitros que com certeza ficaram ofendidos com esse caso", finalizou Soriano.

Entenda o caso

No último domingo (10), no intervalo da partida entre Nova Venécia e Desportiva pelas quartas de finais do Capixabão, membros da comissão técnica e alguns atletas do banco da Desportiva invadiram o campo para reclamar com a arbitragem.

Bem exaltado, o treinador Rafael Soriano reclamou com o árbitro principal da partida, Arthur Gomes Rabelo, e com a assistente, quando começaram a discutir. Após o bate-boca, Soriano deu uma cabeçada uma em Marcielly. O treinador foi expulso após a agressão.

Em entrevista a TV Educativa, do Governo do ES, que transmitia a partida, Soriano negou a agressão e afirmou que iria na delegacia com a assistente para comprovar a sua inocência.

"Se você disser que eu te agredi, a gente vai para a delegacia. A gente vai fazer corpo de delito. Se não, eu vou te processar, vou te processar. Ela está dizendo que eu agredi. Mentira. Está se usando porque é mulher. Está querendo aproveitar de uma situação porque é mulher. Ela empurrou os jogadores e agora ela quer dizer que foi agredida", declarou.

A Federação de Futebol do Espírito Santo (FES) repudiou a atitude do técnico contra Marcielly. Após o caso e a eliminação da Desportiva do Campeonato Capixaba 2022, o treinador foi demitido do cargo.

Na noite de domingo, após o jogo, o Tribunal de Justiça Desportiva do Espírito Santo (TJD-ES) suspendeu Rafael Soriano preventivamente por 30 dias pela agressão. Caso seja punido em todas as instâncias, Soriano pode pegar um gancho de no mínimo 180 dias.

Na manhã de segunda-feira (11), várias federações, clubes capixabas e nacionais, como Flamengo e Santos, prestaram solidariedade a vítima. Na súmula da partida, divulgada pela Federação de Futebol do Espírito Santo (FES), o árbitro Arthur Gomes Rabelo relatou a agressão à assistente e informou que foi registrado o boletim de ocorrência.

Investigação

Após a auxiliar Marcielly Netto registrar um boletim de ocorrência contra o ex-técnico da Desportiva, a polícia iniciou a apuração dos fatos. A Polícia Civil informou que a árbitra assistente realizou exame de corpo de delito no Serviço Médico Legal (SML) de Colatina. 

O caso está sob investigação da Delegacia de Infrações Penais e Outros (Dipo), de Nova Venécia, município que recebeu o jogo da agressão. A assessoria de imprensa da Polícia ainda declarou que não serão divulgados mais detalhes da investigação por enquanto.

Últimas