Folha Vitória Whindersson Nunes oferece ajuda psicológica para menina de 10 anos que engravidou após estupro no ES

Whindersson Nunes oferece ajuda psicológica para menina de 10 anos que engravidou após estupro no ES

O caso foi denunciado pela própria vítima no último dia 8. O suspeito do crime é o tio dela, que continua foragido

Folha Vitória
Foto: Reprodução / Instagram
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Whindersson Nunes usou o Twitter no domingo (16) para falar sobre o caso da menina de 10 anos, estuprada pelo tio e que engravidou. O caso aconteceu em São Mateus, no Espírito Santo. O humorista se ofereceu para pagar o tratamento da criança até que ela complete 18 anos e pediu aos seguidores que lhe ajudem com os contatos da família.

O caso foi denunciado pela própria vítima no último dia 8. O suspeito do crime é o tio dela. Para a polícia, a menina contou não denunciou os crimes com medo das ameaças. O caso é investigado pela Polícia Civil e será acompanhado pelo Conselho Tutelar. 

Entenda o caso

O caso que chocou o Espírito Santo e o Brasil, se tornou público depois que a menina deu entrada no Hospital Roberto Silvares, em São Mateus, se sentindo mal. Enfermeiros perceberam que a garota estava com a barriga estufada, pediram exames e detectaram que ela está grávida de cerca de 3 meses.

Em conversa com médicos e com a tia que a acompanhava, a criança relatou que o tio a estuprava desde os 6 anos. Ela disse que não havia contado aos familiares porque tinha medo, pois ele a ameaçava.

A Polícia Civil fez buscas no Estado e também na Bahia onde o tio da criança, de 33 anos, suspeito pelo crime, tem familiares. Ele não foi localizado e é considerado foragido.

O Ministério Público, através da promotoria de Infância e Juventude, entrou com uma ação impedindo a divulgação de qualquer informação sobre o caso, para proteger a integridade da família e da criança.

O caso é considerado estupro de vulnerável, que consiste em ato libidinoso ou relação sexual com menor de 14 anos ou contra pessoa que por deficiência física ou mental não tem o necessário discernimento para a prática do ato ou que, por qualquer outro motivo, não pode oferecer resistência, conforme o artigo 217-A do Código Penal.

Com informações do Estadão Conteúdo

Últimas