Folha Vitória Xô sedentarismo! Conheça as atividades mais indicadas para começar depois dos 60

Xô sedentarismo! Conheça as atividades mais indicadas para começar depois dos 60

Para quem tem de 18 a 64 anos, a OMS recomenda por semana, 150 minutos de atividade moderada. A partir dos 65, pelo menos três dias por semana, em intensidade que varia de acordo com as condições de saúde de cada um

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Essa história de aproveitar a melhor idade sentado no sofá ficou no passado. Quem chega à casa dos 60 anos precisa mesmo é manter o corpo ativo para desfrutar da nova fase com tudo que ela tem direito!

Para quem tem de 18 a 64 anos, a OMS recomenda, por semana, 150 minutos de atividade moderada, ou 75 minutos de atividade intensa. A partir dos 65 anos, a OMS recomenda a realização de atividade física moderada, de preferência em grupo, três dias por semana no mínimo, em intensidade que varia de acordo com as condições de saúde e de mobilidade de cada um. 

O ser humano, com o passar dos anos tende a perder massa muscular e consequentemente vai perdendo autonomia locomotora, a chamada sarcopenia. Por isso, os treinos de musculação são muito indicados para os idosos. 

"A musculação entra diretamente para diminuir essa perda de massa muscular. Diversos estudos já comprovam que os treinos de força devem ser inseridos na rotina do idosos de forma periodizada e de preferência sob supervisão profissional", disse o personal trainer Leandro Rodrigues. 

O especialista listou ainda alguns dos principais benefícios da musculação pra os idosos. Confira:

- aumento de massa muscular;

- diminuição de gordura corporal e níveis de açúcar no sangue, extremamente importante principalmente em diabéticos;

- aumento da densidade mineral óssea ;

- diminuição significativa de quedas e suas consequências;

- autonomia locomotora

Leia mais: Melhor idade: Veja a importância de cuidar da mente e do corpo depois dos 60

E quem não pode fazer musculação? 

No provesso de envelhecimento ocorre a diminuição das funções fisiológicas e das capacidades físicas, perda de força, massa óssea, flexibilidade, velocidade, redução da massa muscular e aumento da gordura corporal.

Em alguns casos, doenças existentes podem tornar a musculação inviável. Nesses casos, a fisioterapeuta Thatiane Maia, explica a importância da fisioterapia. 

"Essas alterações também podem provocar o aparecimento de doenças cardiovasculares, neurológicas e respiratórias. A Fisioterapia tem como objetivo geral permitir que o idoso mantenha uma boa qualidade de vida, diminuindo os riscos de quedas e acidentes", disse. 

Além de reduzir a vulnerabilidade e fragilidade causada pela idade e ajudam no controle de doenças crônicas.

"A atividade física e um programa de tratamento bem feito, com exercícios de força, flexibilidade, potência aeróbia, equilíbrio e coordenação, promove uma melhora significativa nas atividades de vida diária, reduzindo a fadiga a pequenos esforços", finalizou.

Leia também: Medo da idade? Veja 6 mitos sobre o envelhecimento e 10 dicas para encarar a nova fase

Últimas