Gazeta Digital Casos incidentes de feminicídio em Sorriso deixam autoridades em alerta

Casos incidentes de feminicídio em Sorriso deixam autoridades em alerta

Violência doméstica

Violência doméstica

Gazeta Digital

Dois crimes bárbaros de feminicídio chocaram a cidade de Sorriso (420 km ao norte de Cuiabá) no mês de julho. No primeiro, no dia 2, Lumar Costa da Silva, 28, matou a tia Maria Zélia da Silva Cosmo, 55, e arrancou seu coração. No outro, Marcos Rogério Lima, 33, assassinou sua ex-mulher, Débora de Oliveira Silva, com um tiro de espingarda no rosto.

Leia também - 'Ela mereceu morrer', diz sobrinho que matou a tia em MT

Com a incidência dos crimes, uma reunião está agendada para esta sexta-feira (12), para debater sobre os casos e tentar encontrar alternativas para coibir os crimes. Desembargadora Maria Erotides Kneip afirmou que sua presença foi requerida pela primeira-dama do município, Jucelia Gonçalves Ferro. 

"Vamos fazer uma reunião com Ministério Público, Defensoria, Polícia Civil. Vamos colocar um protocolo do que cada um precisa fazer e vamos instaurar. Precisamos que essa rede de enfrentamento funcione. Nós sabemos que o número de ocorrências lá é alto e queremos que o protocolo esteja pronto", afirmou. 

De acordo com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (USP) e com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Mato Grosso é o 2º estado do Brasil em número de mulheres mortas exclusivamente por questão de gênero. Os dados são de 2018. 

Neste ano, 38 mulheres foram executadas no estado. A estimativa corresponde a 2,2 mulheres a cada 100 mil habitantes. Média nacional é de 1,1 caso a cada 100 mil mulheres.