Gazeta Digital Feminicida é condenado a 24 anos de prisão e irmão a 12 em sessão do júri

Feminicida é condenado a 24 anos de prisão e irmão a 12 em sessão do júri

rosineide 347 presos ex-namorado

rosineide 347 presos ex-namorado

Gazeta Digital

Valdeci Vieira da Silva foi condenado a 24 anos de prisão pelo feminicídio contra sua ex-companheira, Rosineide Maria de Souza, no dia 7 de janeiro do ano passado. Por ter confessado o crime, a pena, que era de 25 anos, foi reduzida em um ano.

Irmão do feminicida, Valdomiro Vieira da Silva, terá que cumprir 12 anos e 2 meses de reclusão. A pena-base foi estabelecida em 18 anos e 6 meses, mas como o Conselho de Sentença reconheceu que a participação do réu "foi de menor importância", ela foi reduzida em um terço.  

Leia também - Irmãos são julgados por feminicídio em Rondonópolis

Presidente do Tribunal do Júri em Rondonópolis, onde ocorreu o crime, o juiz Wagner Plaza Machado Junior destacou na sentença que Valdeci tem tendência ao cometimento de crimes contra as mulheres, ressaltando que ele já responde a outro feminicídio cometido em Mirassol D'Oeste, de onde fugiu após o crime. Enfatizou as circunstâncias do crime, uma vez que a vítima foi jogada, ainda viva, no Rio Vermelho.

Primeiro recebeu pancadas na cabeça e foi esganada até a perda da consciência. "Ainda neste tópico, restou certo que a vítima morreu asfixiada, por afogamento. Neste especial, temos que ela foi lançada no Rio Vermelho quando estava inconsciente, com traumatismo craniano, com massa encefálica exposta, e ainda amarrada no interior de sacos plásticos. É indiscutível a agonia pelo qual passou, tendo aspirado, em momento de desespero, água e areia, conforme os laudos".   

A sentença ainda destaca os motivos do crime , "pois o réu agiu motivado pelo sentimento de posse e poder sobre a vítima, ao exigir que ela voltasse a relação". "Restou ainda reconhecido que o crime ocorreu contra a mulher exercida por razões do sexo feminino, envolvendo violência doméstica e familiar. O reconhecimento desta motivação implica em majoração da pena; neste especial temos que nossa nação é a campeã mundial de crimes de violência doméstica contra as mulheres, o que é vergonhosa e precisa ser duramente punido".   

Em relação ao irmão dele, Valdomiro Silva, o juiz também enfatizou que já responde por outro homicídio na comarca e inclusive já há decisão para que enfrente o Júri Popular.     

Os dois estão presos desde a madrugada do dia 10 de janeiro. Apesar de ter sido morta no dia 7, o corpo de Rosineide foi localizado dois dias depois. Com diligências ininterruptas, a Polícia consegui prender os acusados em flagrante. Eles continuarão na  Penitenciária Regional Major Eldo de Sá Corrêa, a Mata Grande.         

O crime

A sentença descreve que Valdeci e Rosineide se relacionaram por 3 anos, mas há cerca de 1 ano e meio moravam cada um em sua casa, sem nunca terem se desligado em definitivo. Diante das agressões físicas sofridas, no início de 2018 Rosineide resolveu por um ponto final na relação.

Porém, o acusado, não aceitando o término do relacionamento, por volta das 21h, após outra discussão pela divisão do patrimônio, pegou no pescoço da vítima asfixiando-a até a perda de consciência, em seguida tomou um porrete e desferiu ao menos dois golpes em sua cabeça. Neste momento o acusado percebeu que ela não tinha morrido, que estava apenas desmaiada. 

Ele foi até a casa do irmão pedindo ajuda para sumir com o corpo da vítima. Os dois colocaram a vítima em um saco plástico, depois no porta-malas do carro e foram até a MT-270, saída para São José do Povo, onde pararam sobre a ponte do Rio Vermelho e jogaram Rosineide no rio, ainda viva.