Gazeta Digital Manifestação dos servidores públicos tem críticas contra o governo Mauro Mendes

Manifestação dos servidores públicos tem críticas contra o governo Mauro Mendes

Manifestação Fórum Sindical

Manifestação Fórum Sindical

Gazeta Digital

A briga entre o governo e os servidores do Poder Executivo ganhou mais um capítulo nesta terça-feira (12), com uma paralisação de 24 horas do funcionalismo público. Apesar do ato público ter sido pequeno, as acusações e troca de farpas estiveram presentes. Um dos pontos de crítica do Fórum Sindical foi sobre a divulgação de servidores com altos salários, o que não seria a realidade do funcionalismo do Poder Executivo e sim do Judiciário e de outros poderes.

“A campanha que ele tem feito contra os servidores públicos, acusando-os trabalhadores de serem marajás, de receberem salários indecentes. Sem explicar para a população que os trabalhadores do serviço público do Executivo que ele está atacando, são os trabalhadores com menor salário do Estado”, afirma uma das coordenadoras do Fórum Sindical, a professora Edna Sampaio.

Leia também - Sonegação é 4 vezes maior que folha salarial do Estado

Segundo a professora, dos servidores do Executivo 90% ganha até R$ 10 mil. E desse montante, R$ 65% recebe até R$ 5 mil. “Há uma campanha deliberada do governo de confundir a opinião pública. Por que ele não fala qual é o salário da educação? Por que não fala que o salário que chega a atingir R$ 100 mil não está no Executivo e sim no Judiciário, por exemplo? Que nós temos um dos poderes mais caros do Brasil?”

O objetivo dessa divulgação negativa, de acordo com Edna, é provocar pânico. “O governo quer nos enredar para uma discussão entre divergência em relação à tecnicidades. Nós sabemos que a receita foi mais do que suficiente para pagar os salários no mês de janeiro. E que não foi pago exatamente porque o governo utiliza o salário do servidor do Executivo para criar um clima de calamidade que não existe”.

Entre as soluções para aumentar a arrecadação do Estado, o Fórum Sindical defende a redução dos incentivos fiscais concedidos. “Porque o governo faz isenções fiscais para beneficiar grandes empresas, inclusive a própria empresa do governador foi uma das beneficiadas no Prodeic, e os bilionários do agronegócio”, afirma a professora.

Sampaio enfatiza que o serviço público é importante para o atendimento da sociedade e seu enfraquecimento prejudica a todos. “Ao atacar o servidor público, o que a população tem que entender é que o governo está atacando o direito da população de acesso às políticas sociais e públicas como saúde, educação, segurança, assistência social e cultura”.