Gazeta Digital Servente é absolvido de participação em tentativa de homicídio

Servente é absolvido de participação em tentativa de homicídio

Fórum de Cuiabá

Fórum de Cuiabá

Gazeta Digital

O servente de pedreiro Kenned Willian Lemes Louredo foi absolvido da acusação de ter ajudado a terceira pessoa a esfaquear rival em bar. O homem foi submetido a Júri Popular e inocentado por falta de provas. A sessão foi presidida pela juíza Mônica Catarina Perri, da 1ª Vara Criminal de Cuiabá.

Leia também - MPE quer pena maior para réu que cegou, desfigurou e decepou mão de esposa

Durante julgamento, os jurados reconheceram o crime e que uma pessoa teria ajudado o autor da facada e efetuar os golpes, porém não reconheceu que foi Kenned quem segurou a vítima.

Conforme a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), no dia 16 de outubro de 2012, a vítima Célio Marciano de Almeida estava no “Bar do Xaropinho”, no bairro Ouro Fino, em Cuiabá, com uns amigos, quando o acusado chegou ao local na companhia de Paulo Cesar dos Santos Arruda, que seria o autor da facada.

Logo, Paulo teria chamado Célio de canto e ambos discutiram por que o irmão da vítima denunciou que a casa onde o réu morava era utilizado como ponto de tráfico.

Ambos entraram e luta corporal, e Paulo deu uma facada na barriga da vítima. Testemunhas disseram que Kenned teria segurado a vítima para que o comparsa o ferisse. A briga foi separada pelos demais clientes do comércio e, ferido, Célio caminhou até sua casa e acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que o encaminhou para o Pronto Socorro Municipal de Cuiabá ( PSMC). Ele foi submetido a cirurgia para reconstituição da bexiga.

Célio contou ao á polícia que aquela era a segunda vez que o réu o agredia. Que a primeira vez foi no início do mês de outubro, quando foi atingido por um golpe de capacete.

Paulo e Kenned foram presos no mesmo dia, na casa de Paulo, onde foi apreendia a faca usada na tentativa de homicídio. Porém a dupla foi solta no dia 30 daquele mês.

À polícia, Paulo disse que Kenned não teve participação no crime, não segurou a vítima, nem segurou a faca usada para golpear Célio.

Em júri realizado em agosto de 2017, Paulo foi condenado a seis anos e seis meses de prisão pelo crime. O suposto comparsa, Kenned, foi julgado na última sexta-feira (10) e inocentado.

Kenned foi preso em 2014 com carro roubado e está detido no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC) por outros crimes. Paulo tem passagem por roubo, furto, tráfico e outra tentativa de homicídio. Ele está recolhido na Penitenciária Central do Estado (PCE).