Vigilância sanitária encontra Salmonella na água de escola em VG

Bebedouro

Bebedouro

Gazeta Digital

A análise laboratorial das amostras que a Vigilância Sanitária colheu na Escola Municipal Abdala José de Almeida, em Várzea Grande, aponta que a água da unidade escolar estava contaminada pela bactéria Salmonella. A análise foi realizada após 45 estudantes passarem mal na unidade escolar e precisarem de atendimento médico, em agosto.

Leia também - Vigilância sanitária apura intoxicação alimentar em 45 alunos de VG

De acordo com a nota de esclarecimento da prefeitura de Várzea Grande, a Vigilância Sanitária foi até ao colégio e recolheu amostras de alimentos e água. O laudo dos exames apontou que as bactérias Shigella SP e Salmonella SPP haviam contaminado os bebedouros e um garrafão de água do auditório.

Após o resultado, as secretarias de Saúde e Educação tomaram medidas para tratar do incidente, como trocar os bebedouros que servem água para alunos e servidores, manutenção periódica e curso de boas práticas para merendeiras. Além disso, a escola passará por uma reforma no final do ano letivo.

Apesar do mal-estar coletivo, apenas 10% dos alunos foram infectados. No dia do incidente, todos eles foram atendidos as pressas e encaminhados as unidades de saúde.

Veja a nota na íntegra

NOTA DE ESCLARECIMENTOS As Secretarias Municipais de Comunicação Social - SECOM; de Educação, Cultura, Esporte e Lazer - SMECEL e de Saúde - SMS, todas do município de Várzea Grande em relação ao pedido de esclarecimento deste conceituado órgão de comunicação informam:

• No último dia 30 de agosto, na parte da tarde, uma turma de 72 alunos da Escola Municipal de Educação Básica Abdala José de Almeida, unidade escolar que reúne 800 alunos e mais 200 profissionais, acabaram sofrendo sintomas de intoxicação alimentar com vômito e diarreia, sendo que do total de 72 alunos da turma, 45 foram atendidos no Hospital Pronto Socorro e UPA IPASE;• O Pronto Atendimento, acompanhado pelos titulares das pastas de Saúde e Educação, resultou, na liberação de todos no mesmo dia, medicados e sem maiores consequências;• Imediatamente as Secretarias de Saúde e de Educação, além do acompanhamento dos atendimentos, deram início a uma série de averiguações das causas da intoxicação que atingiu menos de 10% do total de alunos da Escola Abdala José de Almeida;• A Vigilância Sanitária foi acionada para averiguações e apontamentos que geraram Resultados das Análises Microbiológicas realizado pelo Laboratório LACEN, aonde se constatou bactérias SHIGELLA SP e SALMONELLA SPP, em bebedouros e garrafão de água do auditório;• Pedidos de contraprovas foram realizados em relação a alimentos acondicionados e da merenda escolar e descartados.
  Diante dos fatos, medidas foram adotadas para se evitar qualquer tipo de outra ocorrência, lembrando que menos de 10% dos alunos e servidores da unidade tiveram algum sintoma sem maiores consequências. Entre as medidas adotadas estão:• Interligação da unidade escolar a Rede Pública do Departamento de Água e Esgoto – DAE/VG;• Troca de bebedouros que servem água potável para alunos e servidores;• Manutenção periódica nos bebedouros de água com instalação de filtros de carvão ativado;• Troca de freezer para acondicionamento de alimentos;• Curso de Boa Práticas para Merendeiras;• Realização de monitoramento mensal microbiológico;
  Também será iniciada com o final do ano letivo as obras de reforma geral da Escola Municipal de Educação Básica Abdala José de Almeida, já licitada e ultimando os preparativos para assinatura do contrato da empresa vencedora do certame licitatório. Dentro dessas obras estão a recuperação do poço artesiano, bem como a sua cloração. As Secretarias de Saúde e de Educação, ambas de Várzea Grande determinaram a notificação das 85 unidades escolares municipais de forma preventiva para realização de monitoramento e da correta utilização de água e alimentos para a merenda escolar e consumo de alunos e profissionais da área.