Cidades Governo do PA monta força-tarefa para capturar quadrilha de Cametá

Governo do PA monta força-tarefa para capturar quadrilha de Cametá

Equipes da Polícia Civil e Militar atuarão junto a dois helicópteros para monitorar região. Criminosos teriam fugido pelos rios próximos à cidade

Governador do Pará, Hélder Barbalho, em visita à Cametá após os assaltos

Governador do Pará, Hélder Barbalho, em visita à Cametá após os assaltos

Divulgação/ Governo do Pará

Após o assalto a cinco agências bancárias e cenas de terror na madrugada desta quarta-feira (2) na cidade de Cametá, distante 234 quilômetros de Belém, o governo estadual do Pará pretende deixar uma força-tarefa mobilizada nos próximos dias para a captura dos criminosos.

Leia mais: Polícia acha veículo com explosivos usados em assalto de Cametá (PA)

Para isso, a Polícia Civil do Pará contará com a atuação de equipes especiais, da Superintendência Regional do Baixo Tocantins, da DRBBA (Delegacia de Repressão de Repressão de Roubo a Banco e Antisequestro) e da CORE (Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais).

A estas se somam equipes da Polícia Militar e do CPCRC (Centro de Perícias Científicas Renato Chaves), que já estão atuando na cidade para perícia de patrimônio, veículo e do local de crime. Dois helicópteros também foram mobilizados para vigiar rios da região, por onde criminosos podem ter fugido. 

Em entrevista coletiva, o governador do Pará, Hélder Barbalho, afirmou que a operação impedir futuras ações.

“Nós não estamos imunes a um episódio dramático como viveu a população de Cametá , por isto que estamos com toda a estrutura para repreender e efetivamente fazer com que esta quadrilha possa ser presa e possa não mais entrar em circulação, seja no baixo Tocantins seja em outras regiões do Estado”, ressaltou.

O assalto envolveu mais de 20 criminosos fortemente armados, com equipamento de grosso calibre, como fuzis. A ação, que durou mais de uma hora, teve como alvo o Banco do Brasil. Uma pessoa que foi usada como refém foi alvejada pelos criminosos e morreu no local.

Outro morador, que foi atingido na perna por arma de fogo, está internado no hospital da cidade, mas sem gravidade. Os criminosos explodiram o cofre errado e nenhum valor foi levado, de acordo com a Polícia Civil.

Durante as buscas ao longo da BR 422, em Cametá, no km 40, uma caminhonete que teria sido utilizada pelos criminosos foi encontrada com vários explosivos em seu interior. Já no km 80, na cidade de Baião, policiais encontraram um carro afundado no rio Itaperuçu, também transportando explosivos. 

Segundo as investigações, os criminosos foram vistos pela população pela última vez no km 90 da BR 422. Há indícios de que eles tenham fugido para uma área de mata. Também foi constatado que os membros da quadrilha possuem sotaque nordestino, o que levanta a suspeita de serem de fora do Estado.

Últimas