Cidades Igrejas da Paraíba tocam sinos por 5 minutos em homenagem a vítimas da Covid-19

Igrejas da Paraíba tocam sinos por 5 minutos em homenagem a vítimas da Covid-19

A Arquidiocese da Paraíba se uniu à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e aderiu à campanha “Toda Vida Importa”. Neste domingo (20), ao meio dia, as igrejas de todo território arquidiocesano irão tocar seus sinos por 5 minutos em respeito às vítimas da Covid-19, chamando todos a um momento de oração. Neste dia, […]

Portal Correio
quaresma

quaresma

Portal Correio
Basílica Nossa Senhora das Neves (Foto: Neves Luiz Vaz/Divulgação)

A Arquidiocese da Paraíba se uniu à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e aderiu à campanha “Toda Vida Importa”. Neste domingo (20), ao meio dia, as igrejas de todo território arquidiocesano irão tocar seus sinos por 5 minutos em respeito às vítimas da Covid-19, chamando todos a um momento de oração. Neste dia, as paróquias também celebrarão missas em sufrágio das almas das pessoas vítimas da pandemia. O número de mortos pela doença passou de 500 mil neste sábado (19).

O Arcebispo da Paraíba, Dom Manoel Delson, celebrará a Santa Missa na Comunidade Consolação Misericordiosa, no bairro Castelo Branco, às 9h. A missa terá participação dos fieis e transmissão através do canal do YouTube da Arquidiocese.

Para Dom Delson, o momento é de luto e de oração. “Não podemos perder a fé nem a esperança. Ao ouvirmos o repicar dos sinos, vamos todos nos unir em uma grande corrente de oração, clamando a Deus pelo fim da pandemia, pela recuperação dos doentes e por todos aqueles que perderam a vida para a Covid.”

Na Paraíba, a Covid já tirou a vida de mais de 82 mil pessoas. “Ao mesmo tempo que rezamos, precisamos ter consciência de que uma pandemia se combate com a participação de todos. Precisamos exigir políticas públicas eficazes, comprometimento dos governantes e ação coerente de todos os cidadãos. Usar máscara, não aglomerar, praticar o distanciamento social, higienizar as mãos, tudo isso não é mais novidade e nós precisamos respeitar os protocolos”, reforça o Arcebispo.

“Quando os sinos tocarem ao meio dia, todos são convidados a silenciar e fazer um momento de oração, seja sozinho ou com as pessoas que estão próximas. As Paróquias ficam livres para realizar momentos próprios em outros horários também, mas que o repicar dos sinos ao meio dia seja uma ação conjunta, em unidade”, finaliza.

Últimas