Cidades Madrasta teria feito armadilha para Bernardo

Madrasta teria feito armadilha para Bernardo

A terceira suspeita pelo crime disse que a compra de TV era para atrair o garoto

Madrasta teria feito armadilha para Bernardo

Quando o vídeo foi gravado, o menino já havia sido morto

Quando o vídeo foi gravado, o menino já havia sido morto

Reprodução Zero Hora

Um dos cunhados de Graciele Ugulini, de 32 anos, madrasta de Bernardo Boldrini, de 11, desconfiou da atitude da enfermeira diante do desaparecimento do enteado. Paulo Boldrini, um dos irmãos do médico Leandro Boldrini, pai do menino, questionou a cunhada sobre o motivo de ela ter ido à cidade de Frederico Westphalen comprar um aparelho de TV com o garoto.

Em um vídeo obtido pelo jornal Zero Hora é possível ouvir a resposta de Graciele:

— Comprei lá porque a gente comprou lá.

A assistente social Edelvânia Wirganovicz, amiga da enfermeira, disse em depoimento que a compra do aparelho era uma desculpa para levar Bernardo à cidade e matá-lo com uma injeção letal.

Leia mais notícias de Cidades

O vídeo também mostra Graciele brincando com sua filha, de 1 ano e seis meses, no quintal da casa onde morava, em Três Passos (RS).

O cunhado ainda relatou à reportagem que a enfermeira dizia que, em alguns casos, a polícia não encontrava os desaparecidos. Ele chegou a desconfiar de que algo estava acontecendo, mas não queria pensar que algo de ruim havia ocorrido com Bernardo.

Ainda segundo informações do jornal, quando o vídeo foi gravado, o garoto já havia sido morto e enterrado. Graciele, Leandro e Edelvânia são apontados pela polícia como os responsáveis pela morte de Bernardo.