Novo Coronavírus

Cidades MP-AP investiga se secretário de Saúde furou fila da vacinação

MP-AP investiga se secretário de Saúde furou fila da vacinação

Inquérito apura se Randolph Pinheiro da Silva, de Serra do Navio, se beneficiou do cargo para receber imunização contra covid-19

  • Cidades | Do R7

Resumindo a Notícia

  • Secretário de Saúde de Serra do Navio foi flagrado tomando a vacina contra covid-19
  • Ele não é do grupo prioritário definido na campanha nacional de imunização
  • Meses antes, ele ironizou a CoronaVac e a obrigatoriedade da vacinação
  • MP-AP apura o caso; ele pode responder por improbidade administrativa
MP-AP investiga se secretário de saúde de Serra do Navio furou fila da vacinação contra covid

MP-AP investiga se secretário de saúde de Serra do Navio furou fila da vacinação contra covid

Divulgação / Prefeitura de Serra do navio

O MP-AP (Ministério Público do Amapá), por meio da Promotoria de Justiça de Pedra Branca do Amapari, instaurou nesta quinta-feira (21) um inquérito civil para apurar se o secretário de Saúde de Serra do Navio, Randolph Antônio Pinheiro da Silva, se beneficiou do cargo para receber a vacina contra a covid-19. A campanha seria para imunizar apenas profissionais de saúde, segundo o Plano Nacional e Estadual de Vacinação.

Em outubro, por meio das redes sociais, o secretário chegou a ironizar a CoronaVac e a obrigatoriedade de imunização com a vacina vinda da China e agora teria furado a fila para receber a dose contra a doença.

A vacinação do secretário repercutiu nas redes sociais. Internautas destacaram o fato de ele ter postado notícias contra a vacina e agora ter recebido a dose antes mesmo do grupo prioritário.

A ação do MP também tem o objetivo de apurar se a esposa do gestor recebeu indevidamente a imunização, já que circulam fotos nas redes sociais e publicações na imprensa sobre o suposto fato.

A promotora de Justiça Thaysa Assum de Moraes enviou ofício para que o secretário municipal se manifeste no prazo de 48 horas e encaminhe nome, critério e qualificação de cada pessoa vacinada no município até momento.

"É notória a insuficiência das doses da vacina da covid- 19 para imunização da população como um todo e por isso as autoridades públicas instituíram a ordem de prioridades. Caso sejam constatados os fatos noticiados, o Ministério Público velará pela restauração da legalidade e responsabilização dos envolvidos”, afirma a promotora.

A ação do MP está embasada na Lei Federal nº 8.429/92, que "disciplina que os agentes públicos de qualquer nível ou hierarquia são obrigados a velar pela estrita observância dos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade e publicidade no trato dos assuntos que lhe são afetos".

Se for constatada a irregularidade, segundo o MP, o caso configura ato de improbidade, além de prever a responsabilização criminal daquele que pratica infração de medida sanitária preventiva.

Na primeira etapa da vacinação, em todo o país, profissionais da linha de frente de combate à pandemia têm direito a receber o imunizante assim como indígenas e idosos que estejam em asilos.

A reportagem tentou contato com a prefeitura e com o secretário de Saúde, mas não obteve resposta.

Últimas