Cidades MPF investiga responsabilidade de queda de falésia de praia no RN

MPF investiga responsabilidade de queda de falésia de praia no RN

Em inquérito, MPF solicita à prefeitura de Tibau do Sul mapeamento das áreas de falésia e a situação de cada ponto. Nova vistoria é feita em praia

  • Cidades | Do R7, com informações da Record TV e Agência Estado

Técnicos realizam vistoria em praia de Pipa, onde família morreu soterrada

Técnicos realizam vistoria em praia de Pipa, onde família morreu soterrada

Divulgação/Corpo de Bombeiros (RN)

Um nova vistoria será realizada na falésia da praia de Pipa, no Rio Grande do Norte, onde uma família morreu soterrada na terça-feira (17). Uma parte do paredão rochoso que dá acesso a um dos principais pontos turísticos do litoral norte-rio-grandense se desprendeu, matando um casal e uma criança que estavam na areia, sob a sombra da falésia.

Um inquérito público foi instaurado para investigar a responsabilidade nesse desabamento. No documento, o órgão solicita à prefeitura de Tibau do Sul um mapeamento das áreas de falésia e a situação de cada ponto. O local permanece interditado.

Leia mais: Família atingida por falésia no RN será velada na quarta-feira (18)

O enterro da família atingida pela queda de uma falésia ocorreu na quarta-feira (18). As vítimas são uma família, formada pelo pai, Hugo Mendes Pereira, a mãe, Stela Marinho e Sol Marinho, bebê do casal. Hugo, morava em Pipa, mas nasceu em Jundiaí, no interior de São Paulo. A família não informou se o corpo será levado ao estado para o sepultamento.

Segundo informações, a queda da falésia teria sido provocada pela maré e pela falta de sinalização no local. A mãe foi encontrada abraçada junto ao bebe de 7 meses. Os corpos chegaram as 16 horas da terça-feira no Instituto Técnico e Científico de Perícia. Uma força tarefa foi montada para a necrópsia e os corpos foram liberados 23h30.

Às 10h da quarta-feira ocorre uma reunião com o Ministério Público Federal, o Ministério Público do Estado, Defensoria Público e a Defesa Civil. Às 12h, esse grupo irá até a praia quando a maré baixar. A Defesa Civil dará celeridade a um estudo de georreferenciamento na área em que ocorreu o desabamento.

Despedida

O típico barulho dos turistas e o vai e vem dos bugues pelas ruas estreitas do distrito da Pipa deram lugar ao silêncio e tristeza na manhã desta quarta-feira (18). Os corpos da estudante de Psicologia, Stela Silva de Souza, de 33 anos; do administrador Hugo Mendes Pereira, natural de Jundiaí (SP), de 32 anos, e o do filho do casal, Sol de Souza Pereira, de sete meses, foram enterrados no Cemitério Público local. Os corpos foram velados por familiares, amigos e admiradores do casal na pousada que eles administravam, a Morada da Brisa Pipa.

Os funcionários do Hotel Sun Bay, onde Hugo Mendes Pereira tinha começado a trabalhar havia cerca de 30 dias, realizaram uma homenagem na praia, próximo ao ponto onde ocorreu o acidente. Com flores espalhadas pela areia, formando um semicírculo, eles rezaram para a família.

Nas redes sociais do empreendimento, consta uma homenagem. "Você foi um presente. Chegou trazendo LUZ... generoso, doce, acolhedor, um ser humano maravilhoso. Você foi especial, formidavelmente diferente. Todos nós tivemos muita sorte! Só nos resta orar e conviver com a saudade que será imensa! Saudade multiplicada por três, a deusa Stela (como ele dizia) e o seu Sol. E ter a plena certeza que não é o fim! Eles VIVEM!"

Em homenagem à família, pessoas saíram às ruas do vilarejo e aplaudiram enquanto o cortejo fúnebre seguia.

Conforme laudo preliminar do Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep/RN), as mortes foram caracterizadas como resultado de ação contundente das pedras de barro que desabaram sobre eles.

Últimas