Cidades MPPB apura se negligência em alta causou morte de idoso em JP

MPPB apura se negligência em alta causou morte de idoso em JP

O Ministério Público instaurou procedimento administrativo para apurar um suposto caso de

Portal Correio

O Ministério Público instaurou procedimento administrativo para apurar um suposto caso de negligência ocorrido no Complexo Hospitalar de Mangabeira Governador Tarcísio Burity (Trauminha), em João Pessoa. A suspeita é de que um idoso de 60 anos teria recebido alta sem estar realmente apto à liberação médica. Ele morreu momentos após deixar o hospital, no último dia 22 de outubro.

Leia também:

Imagens mostram deficiências e precariedades do Trauminha em João Pessoa CRM-PB faz interdição ética do Hospital Ortotrauma de Mangabeira Coren-PB recomenda melhora na limpeza e higiene do Trauminha

Segundo o filho, o idoso foi levado pelo Samu ao Trauminha na noite do dia 21 de outubro. Ele apresentava fortes dores no peito e pressão arterial muito alta, sendo internado por volta das 23h30 e direcionado à ala vermelha, para recuperação. Às 10h30 do dia seguinte, foi emitida a alta hospitalar e, no percurso para sua residência, precisamente, na ladeira que divide os bairros de Mangabeira e Valentina, o idoso apresentou tosse e falta de ar e através de gestos pediu para que o veículo fosse estacionado, falecendo logo em seguida, em plena via pública.

O procedimento administrativo foi instaurado pela 46ª promotora de Justiça de João Pessoa, Sônia Maria de Paula Maia, que atua na defesa da cidadania e dos direitos fundamentais e do idoso da Capital. De acordo com Sônia Maia, tem sido cada vez mais crescente as notícias de fato, denúncias e pedidos de interveniência do Ministério Público quanto à assistência à saúde das pessoas idosas que vivenciam situação de risco pessoal e vulnerabilidade social em João Pessoa.

“O idoso é mais um dentre os inúmeros idosos que falecem diariamente, mensalmente, na cidade de João Pessoa, em decorrência da falta de leitos hospitalares. Muitos, por receberem alta precocemente, para dar lugar àqueles que encontram-se nas UPAs ou em seus lares humildes, aguardando o sinal verde para internamento nas unidades conveniadas pelo SUS”, informa a promotora.

A promotora expediu notificação à direção do Complexo Hospitalar Mangabeira (Trauminha), para pronunciamento acerca da morte do idoso e requisitou ao IML o exame tanatológico, para esclarecimento da causa mortis e informações complementares por parte do noticiante, no que concerne ao ocorrido.

O que diz o hospital

Em nota, o Complexo Hospitalar de Mangabeira Governador Tarcísio de Miranda Burity disse que ainda não foi notificado pelo MPPB sobre o procedimento administrativo, mas informou que realizou todos os protocolos clínicos no idoso.

“Ele recebeu assistência dos profissionais, realizando protocolo assistencial, permanecendo em observação por toda noite. Evoluiu assintomático e com controle da pressão arterial
Foi submetido a exames, tendo sido realizado curva enzimática e acompanhamento eletrocardiográfico. No plantão de 22 de outubro o paciente foi reavaliado e, como se encontrava sem queixas e sem alteração laboratorial, o plantonista deu alta para seguimento ambulatorial”, alegou Trauminha.

Últimas