Cidades Na Paraíba, 81% dos donos de pequenos negócios usam redes sociais para vender

Na Paraíba, 81% dos donos de pequenos negócios usam redes sociais para vender

Na Paraíba, 81% dos donos de pequenos negócios ouvidos pelo Sebrae utilizam as redes sociais, aplicativos ou internet para vender seus produtos. A forma de negócio ficou mais evidente durante a pandemia. Os dados são da 11ª edição da pesquisa “O Impacto da pandemia de coronavírus nos Pequenos Negócios”, realizada pelo Sebrae em parceria com a […]

Portal Correio
Enem

Enem

Portal Correio
Foto: Marcos Santos/USP Imagens/Fotos Públicas

Na Paraíba, 81% dos donos de pequenos negócios ouvidos pelo Sebrae utilizam as redes sociais, aplicativos ou internet para vender seus produtos. A forma de negócio ficou mais evidente durante a pandemia.

Os dados são da 11ª edição da pesquisa “O Impacto da pandemia de coronavírus nos Pequenos Negócios”, realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O levantamento revelou, também, que de cada 10 empresas brasileiras, sete já comercializam seus produtos e serviços pela internet. Além disso, os pequenos negócios do país que atuam no mundo virtual apresentaram uma queda de faturamento de, em média, 42%, conforme a pesquisa. 

O gerente de relacionamento digital do Sebrae Paraíba, João Jardelino, afirmou que a entrada no comércio eletrônico pode ser uma saída inteligente para não apenas sobreviver à redução do volume de vendas, como também conquistar novos clientes. Para isso, ele destacou que é importante, principalmente para aqueles que já estão atuando no comércio eletrônico, aprofundar o conhecimento do mercado digital, entendendo o perfil desse consumidor e como ele se comporta. 

“Para aumentar as vendas através deste canal também é essencial organizar melhor a loja on-line, com layout e fotos de qualidade, além de aperfeiçoar as estratégias de marketing digital para impulsionar a visibilidade do negócio e dos produtos. Segundo pesquisas divulgadas, 56% dos consumidores brasileiros afirmaram que compraram no e-commerce pela primeira vez na pandemia e 94% pretendem continuar comprando nas lojas on-line que descobriram no período. Ou seja, mesmo em um cenário pós-pandemia, o comércio eletrônico é uma realidade”, enfatizou o gerente. 

O Sebrae disse que tem acompanhado a adesão dos pequenos negócios no comércio eletrônico e viu a participação dessas empresas saltar quase dez pontos percentuais em um ano, passando de 59% para 67%. A 11ª edição da pesquisa também revelou que as mulheres são as que mais têm atuado no comércio eletrônico. Entre as empreendedoras brasileiras, 72% declararam vender pela internet. Entre os homens, esse número cai para 64%. 

A pesquisa também confirma a tese de que quanto mais novo o empreendedor, mais digitalizada é a sua atuação. Entre os empreendedores com até 24 anos, 77% estão no mundo digital. Conforme a idade vai aumentando, esse índice se reduz gradativamente. Dos 25 até 35 anos, 76%; entre 36 e 45 anos, 70%; entre 46 e 55, 64%; entre 56 e 65, 61% e acima dos 65 anos, 52%. 

Últimas