Cidades Óbitos maternos ligados à Covid aumentam e número de bebês prematuros triplica em Campina Grande

Óbitos maternos ligados à Covid aumentam e número de bebês prematuros triplica em Campina Grande

Audiência entre a Promotoria de Justiça de Campina Grande e o Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea) discutiu, nessa terça-feira (1º), medidas de contenção de óbitos maternos e internação de bebês em UTI em decorrência da Covid-19. Segundo divulgou o Ministério Público da Paraíba (MPPB), houve aumento dos casos de óbitos maternos relacionados à […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Número de bebês prematuros aumentou em CG (Foto: Imagem ilustrativa | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Audiência entre a Promotoria de Justiça de Campina Grande e o Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea) discutiu, nessa terça-feira (1º), medidas de contenção de óbitos maternos e internação de bebês em UTI em decorrência da Covid-19.

Segundo divulgou o Ministério Público da Paraíba (MPPB), houve aumento dos casos de óbitos maternos relacionados à pandemia. Em 2020, o casos representavam 7,4% e, em 2021, passaram para 15,6%. No último fim de semana, foram registrados dois óbitos maternos em Campina Grande.

Também foi citado um estudo que aponta que 59% das gestantes vítimas da Covid-19 não tinham comorbidades. “Todas as gestantes devem ser vacinadas, independente de possuírem comorbidades”, defendeu a obstetra do Isea, Melania Amorim.

Além disso, o Instituto constatou que o número de bebês prematuros tem triplicado e que a UTI Neonatal está com 16 pacientes, dentre os quais cinco estão no isolamento por causa da Covid-19.

Após a audiência, foram acordados seis encaminhamentos para sanar os problemas, dentre eles a contratação de mais profissionais aprovados no último concurso público para a área e a continuidade da vacinação das grávidas. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS-CG) também deverá manter contato com outros hospitais da rede de obstetrícia de Campina Grande para aumentar a retaguarda do Isea.

Caberá à SMS-CG, ainda, verificar a possibilidade de distribuir máscaras N-95 às gestantes, pois o equipamento oferece maior proteção contra o coronavírus do que as máscaras de tecido ou cirúrgicas.

Confira a íntegra dos encaminhamentos Campina Grande continuará seguindo as resoluções da CIB – Comissão Intergestores Bipartite – no que tange ao início da vacinação dos grupos prioritários e da distribuição das doses, conforme as pautas divulgadas, inclusive para as gestantes. O Município continuará fazendo a contratação  dos aprovados no último concurso público de provas e títulos para o cargo de neonatologista e, em havendo o quantitativo de interessados, irá convocá-los conforme o prazo regulamentar. A Secretaria de Saúde oficiará ao Ministério da Saúde sobre o envio dos testes rápidos prometidos, para realização nas gestantes no Isea.  A Secretaria de Saúde manterá o contato com os demais hospitais da rede de obstetrícia da cidade, Clipsi e FAP, para aumentarem a retaguarda do Isea, tanto na parte da assistência à gestante, quanto aos recém-nascidos que necessitam de leitos de UTI não Covid. O Isea continuará com seu projeto de treinamento da Atenção Básica, para o Planejamento Reprodutivo, disponibilizando a capacitação da Atenção Básica para a colocação do DIU – Dispositivo Intra Uterino. A Secretaria de Saúde verificará a possibilidade de aquisição de máscaras N-95, através da CAF (Central de Abastecimento Farmacêutico),  para distribuir entre as gestantes, tendo em vista a necessidade de proteção.

Últimas