Cidades Órgãos alertam para chuvas nos próximos dias no país

Órgãos alertam para chuvas nos próximos dias no país

Inmet e Inpe divulgaram nota à população sobre a previsão de chuvas intensas nas regiões Sudeste e Centro-Oeste

  • Cidades | Da Agência Brasil

Massa de ar úmida e instável causará tempestades

Massa de ar úmida e instável causará tempestades

Divulgação/Centro de Operações

Em nota conjunta divulgada nesta quinta-feira (30), o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) e o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) alertam a população sobre a previsão de chuvas intensas nas regiões Sudeste e Centro-Oeste neste fim de ano.

Segundo a nota, no período de 30 de dezembro de 2021 até pelo menos o dia 2 de janeiro de 2022, uma massa de ar úmida e instável causará tempestades e elevados acumulados de chuva em parte dessas regiões.

Segundo os dois institutos, as áreas que mais causam preocupação são no norte, centro e leste de Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais (com exceção apenas do norte e nordeste), norte de São Paulo e na Região Serrana e sul do Rio de Janeiro. As previsões mostram que os maiores acumulados de chuva devem ocorrer entre a noite de ontem e a noite de hoje (31). Os acumulados de chuva nessas regiões até a noite de 12 de janeiro de 2022 poderão variar entre 70 mm e 150 mm.

Alerta de chuvas fortes

Além disso, o Cenad (Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres), em conjunto com o Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), emitiu um alerta de chuvas intensas nas próximas 48 horas para os estados já citados, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, além do Tocantins.

Há, inclusive, risco de ocorrências de desastres relacionados, como deslizamentos, enxurradas, inundações e alagamentos. As principais áreas de atenção são o Leste de Minas Gerais; a Região Serrana e a Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro; e o Vale do Paraíba, em São Paulo.

No alerta divulgado pelo Cenad e Cemaden, e também assinado pelo Inpe e pelo Inmet, existe a recomendação de “emitir para a população vulnerável os alertas que julgar necessários” e “isolar áreas expostas às inundações e enxurradas evitando exposição de pessoas e veículos ao risco”.

Últimas