Cidades Pacientes de Patos são transferidos para CG devido à interrupção no abastecimento de oxigênio

Pacientes de Patos são transferidos para CG devido à interrupção no abastecimento de oxigênio

Dez pacientes do Hospital Regional de Patos, no Sertão paraibano, foram transferidos para Campina Grande, na madrugada desta terça-feira (25), devido a uma interrupção inesperada no abastecimento de oxigênio na unidade. Em nota, a direção do hospital informou que o caminhão que transportava cilindros de oxigênio para a unidade se envolveu em um acidente em […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Hospital Regional de Patos (Foto: Divulgação/Secom-PB)

Dez pacientes do Hospital Regional de Patos, no Sertão paraibano, foram transferidos para Campina Grande, na madrugada desta terça-feira (25), devido a uma interrupção inesperada no abastecimento de oxigênio na unidade.

Em nota, a direção do hospital informou que o caminhão que transportava cilindros de oxigênio para a unidade se envolveu em um acidente em Minas Gerais. Para garantir que todos os pacientes recebessem tratamento adequado e evitar a escassez de oxigênio, o Regional de Patos solicitou que a Secretaria de Estado da Saúde (SES) desse suporte às transferências.

Dez ambulâncias fizeram o transporte dos pacientes. Cinco foram enviadas pelo Hospital de Trauma de Campina Grande, enquanto que as outras foram disponibilizadas por unidades do Sertão.

De acordo com a direção do Hospital Regional de Patos, também foi realizado um mutirão para aporte de cilindros extras. “O hospital tinha 20 torpedos de oxigênio, conseguiu mais 15 e vai receber outros 50 que estão vindo de Mossoró (RN). Um caminhão extra está sendo abastecido no Cabo de Santo Agostinho, em Suape (PE), e chegará nesta terça-feira”, informou o Regional de Patos.

A Secretaria de Estado da Saúde informou que os 10 pacientes de Patos serão recebidos pelo Hospital das Clínicas de Campina Grande. “As transferências tiveram caráter preventivo, visando diminuir o consumo na unidade enquanto a unidade é reabastecida”, reforçou a SES.

Últimas