Pâmela Pantera é presa no ES acusada de tráfico de drogas

Modelo e garota de programa era procurada por crimes no Distrito Federal. Segundo a polícia, ela tirou a roupa quando recebeu voz de prisão

Pâmela Pantera foi presa na capital do Espírito Santo

Pâmela Pantera foi presa na capital do Espírito Santo

Reprodução/Record TV

A atriz, modelo e garota de programa Flávia Tamayo, mais conhecida como "Pâmela Pantera", foi presa nesta terça-feira (21) em Vitória (ES). Ela é acusada de tráfico de drogas e associação ao tráfico. Ex-capa da revista Playboy, Flávia estava em um hotel de luxo quando foi presa. Ela e suspeita de fazer parte de uma quadrilha que atua no Distrito Federal.

O delegado Rafael Corrêa disse que recebeu uma informação da polícia do Distrito Federal indicando que ela estaria em Vitória na praia de Camburi. "Colocamos equipes na rua e após termos a certeza de onde ela iria passar a noite, fizemos a abordagem quando ela chegava ao saguão do hotel com mandado de prisão", disse o delegado.

"Quando ela percebeu que ela iria para a delegacia ser presa ela pegou na barra do vestido, levantou até os seios e ficou nua", disse o delegado. Uma policial feminina ajudou a conter a reação de Flávia.

Segundo a polícia, ela foi ao Espírito Santo para fazer "captação de novos clientes".

Momento em que Pâmela Pantera recebe voz de prisão no hotel em Vitória

Momento em que Pâmela Pantera recebe voz de prisão no hotel em Vitória

Reprodução/Record TV

No dia 24 e junho, ela disse ao Balanço Geral da Record TV que estava na casa do pai, em São Paulo, e que não tinha nada a esconder da polícia. Segundo investigação, ela comandaria uma equipe de prostitutas de luxo em Brasília que vendia drogas para clientes poderosos.

"Estou na casa do meu pai em São Paulo", disse Pâmela. "Não tenho nada a esconder."

Pâmela tem 22 anos e é natural de São Paulo. Ela trabalha com prostituição desde os 18 anos e tem como clientes empresários e políticos, que também deverão ser chamados para depor. Em entrevista à Record TV em junho, ela negou que vendia drogas. Disse que uma operação policial prendeu várias pessoas mas ela não tem nada a dever. "Prenderam mais de dez pessoas, foram na minha casa e não encontraram nada", afirmou.

Pâmela é filha de um adestrador de cães e uma corretora de imóveis, e diz que os pais têm boas condições financeiras e sempre a ajudaram.