Emprego

Cidades Paraíba gera 10,1 mil empregos formais em novembro

Paraíba gera 10,1 mil empregos formais em novembro

A Paraíba registrou saldo positivo na geração de empregos formais em novembro

Portal Correio

A Paraíba registrou saldo positivo na geração de empregos formais em novembro deste ano, conforme dados divulgados nesta quarta-feira (23) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia. Veja aqui os dados locais e nacionais na íntegra.

Leia também: FGTS poderá ser recolhido com Pix a partir de janeiro

Foram 10.178 novas vagas com carteira assinada criadas no mês, resultado da diferença entre 17.669 admissões e 7.491 desligamentos, o que representa uma variação positiva de 2,49%. É o sexto mês do ano com saldo positivo na geração de empregos formais. Em outubro, foram 1.437 novas vagas com carteira assinada criadas, resultado da diferença entre 13.000 admissões e 11.563 desligamentos, o que representou uma variação positiva de 0,35%.

Setores como indústria geral (+746 vagas), construção (+2.981 vagas), comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (+2.142 vagas) e de serviços (+4.326 vagas) contribuíram para o saldo positivo de novembro do mercado formal de emprego da Paraíba, enquanto o segmento de agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (-17 vagas) teve perdas de postos no último mês.

No acumulado de 2020, o saldo passou a ser positivo, com 4.263 empregos com carteira assinada criados, representando uma variação relativa de 1,03%, resultante da diferença entre 119.567 admissões e 115.304 demissões entre janeiro e novembro.

Brasil

O saldo do emprego com carteira assinada em novembro ficou positivo em 414.556 postos de trabalho criados no Brasil, fruto de 1.532.189 admissões e 1.117.633 desligamentos. É o melhor resultado para todos os meses desde o início da série histórica do Caged, superando o recorde anterior, registrado no Novo Caged de outubro passado. É o quinto mês consecutivo de saldo positivo e o melhor do ano até o momento.

Acumulado

No acumulado do ano, verifica-se a geração de 227.025 novos postos de trabalho formais. É a primeira vez desde o início da pandemia, que o saldo acumulado do ano é positivo.

De janeiro a novembro foram 13.840.653 admissões e 13.613.628 desligamentos. O estoque de empregos formais no país chegou a 39.036.648 vínculos, o que representa uma variação de 1,07% em relação ao mês anterior e bem próximo do registrado em novembro de 2019: 39.358.772.

Setores

O bom desempenho de novembro foi puxado pelo setor de serviços, com +179.261 novas vagas, e comércio, com +179.077. Na indústria o saldo foi positivo em +51.457 e, na construção, +20.724.

Regiões

As cinco regiões do país tiveram saldo positivo em novembro, com destaques para o Sul, com alta de 1,28% (+92.610 novos postos) e Nordeste, com alta de 1,14% e +71.879 novas vagas de emprego com carteira assinada.

No Sudeste, a alta foi de 1,08% e +215.059 novas vagas; no Norte, 0,88% e +16.187; enquanto o Centro-Oeste teve, respectivamente, 0,59% e +19.421.

Todas as unidades da federação também registraram saldos positivos, com destaques para Paraíba, Roraima e Santa Catarina, estados com as maiores altas relativas: 2,49% (10.178 vagas), 2,09% (1.200) e 1,56% (33.004), respectivamente.

Já os maiores saldos absolutos foram registrados em São Paulo (138.411 vagas, alta de 1,15%), Santa Catarina (33.004, 1,56%) e Minas Gerais (32.894, 0,81%).

Modernização trabalhista

Em novembro, houve 20.429 admissões e 9.340 desligamentos na modalidade de trabalho intermitente, gerando saldo de +11.089 empregos, envolvendo 6.827 estabelecimentos contratantes. Um total de 222 empregados celebrou mais de um contrato na condição de trabalhador intermitente.

Já a jornada em regime de tempo parcial teve saldo de +4.683 postos de trabalho no mês, resultado de 16.645 admissões e 11.962 desligamentos. No período, a movimentação envolveu 11.231 estabelecimentos contratantes e 37 empregados celebraram mais de um contrato em regime de tempo parcial.

Últimas