Cidades Passagem em Porto Alegre deve baixar para R$ 2,80, diz prefeito

Passagem em Porto Alegre deve baixar para R$ 2,80, diz prefeito

Anúncio foi feito após protesto que terminou em confronto entra polícia e manifestantes

Passagem em Porto Alegre deve baixar para R$ 2,80, diz prefeito

Porto Alegre teve depredações nesta segunda-feira (17)

Porto Alegre teve depredações nesta segunda-feira (17)

Vinícius Costa/Futura Press/Estadão Conteúdo

O prefeito de Porto Alegre (RS), José Fortunati, informou que o valor da passagem do transporte público deve ser reduzido de R$ 2,85 para R$ 2,80. Após o protesto com confronto entre manifestantes e a polícia, a prefeitura pediu a redução da tarifa. O pedido foi encaminhado à Câmara na terça-feira (18).

Caso a Câmara aprove a medida, a Justiça deverá decidir o dia em que o novo valor passa a valer. O prefeito disse ainda que pediu ao governo do Estado a isenção de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) no óleo diesel do transporte coletivo.

Cerca de 3.000 pessoas participaram da passeata na noite de segunda-feira (17). Pelo menos um automóvel e uma loja de motos foram depredados e pessoas passaram mal por causa das bombas de gás lacrimogêneo lançadas pela polícia. Também houve detenções.

O ato começou na praça Montevidéu, diante da prefeitura, e seguiu pacificamente pelas avenidas Borges de Medeiros, Salgado Filho e João Pessoa. Quando a multidão se aproximava da avenida Ipiranga, um grupo apedrejou uma loja de motos, quebrando as vitrines.

Na sequência, tentou entrar na sede da superintendência da Polícia Federal. A Brigada Militar bloqueou o avanço pela avenida Ipiranga e houve confronto. Com isso, parte dos manifestantes tomou o caminho de volta ao centro pela Rua Lima e Silva, paralela à João Pessoa. Outra parte recuou pela própria Ipiranga e João Pessoa.

Veja fotos do protesto em São Paulo

Curitiba realiza protestos pelo transporte

Em alguns momentos da manifestação, a maioria dos participantes tentou deixar claro que atos de vandalismo eram praticados por grupos menores. Durante a passagem pela Lima e Silva, quatro pessoas derrubaram um contêiner de lixo e foram contidos pelos demais, que reergueram o equipamento urbano.