Cidades PF apura esquema de tráfico de drogas, via Correios, em Alagoas

PF apura esquema de tráfico de drogas, via Correios, em Alagoas

São cumpridos sete mandados de busca e apreensão e um de prisão. As encomendas postadas em SP tinham como destino Maceió

  • Cidades | Edilson Muniz e Letícia Dauer, da Agência Record

PF apura esquema de tráfico de drogas, via Correios, em Alagoas

PF apura esquema de tráfico de drogas, via Correios, em Alagoas

Reprodução / Agência Brasil

A Polícia Federal, com o apoio da Polícia Militar de Alagoas, deflagrou na manhã desta quarta-feira (15) a Operação Encomendas, com o objetivo de investigar um esquema de envios de drogas em encomendas postais.

Policiais federais cumprem um mandado de prisão e sete mandados de busca e apreensão, expedidos pela 15ª Vara Criminal da Capital contra pessoas investigadas pela prática de tráfico de drogas.

Leia mais: Governo deve sancionar Marco do Saneamento nesta quarta-feira

A investigação teve início em maio deste ano, quando a área de segurança dos Correios em Alagoas comunicou à PF sobre a suspeita de que havia, em diversas encomendas postadas no Estado de São Paulo e destinadas a Maceió, conteúdo que aparentava ser de substâncias ilícitas.

As encomendas foram todas apreendidas pela polícia, que constatou se tratar de maconha.

Veja também: Shoppings de SP amargam prejuízo mesmo após reabertura

Ao analisar os documentos e demais elementos existentes sobre os remetentes e os destinatários das encomendas, os policiais perceberam que, apesar das informações serem desencontradas e falsas, havia relação entre vários dos objetos postais, o que poderia caracterizar um esquema de tráfico de drogas.

Os envolvidos na postagem e no recebimento das encomendas estão sujeitos a uma pena de até 15 anos de reclusão por tráfico de drogas.

Leia ainda: Justiça Militar de SP autoriza PM a recolher arma da cena do crime

As investigações continuam. O material apreendido durante o cumprimento das buscas será anexado ao inquérito instaurado na Polícia Federal em Alagoas após análise da perícia.

Últimas