Cidades PF investiga esquema de venda de relíquias arqueológicas no Acre

PF investiga esquema de venda de relíquias arqueológicas no Acre

Investigações tiveram início após notícia do crime, que informava sobre comercialização dos materiais na internet

  • Cidades | Do R7

Suspeito vendia garrafas do século 19, originárias de países da Europa

Suspeito vendia garrafas do século 19, originárias de países da Europa

Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (5) a operação Elona, para investigar esquemas de vendas de relíquias arqueológicas no Acre.

A ação apura a possível prática de crimes de alteração de locais, em razão do valor arqueológico, venda de materiais e estelionato.

As investigações tiveram início após uma notícia do crime, que informava a respeito da comercialização dos materiais arqueológicos em plataformas na internet.

A polícia apurou que um suspeito, autointitulado “caçador de relíquias”, retira materiais arqueológicos do Rio Acre sem ter autorização.

Os objetos seriam garrafas do século 19, de origem da Holanda, Irlanda, Inglaterra e Portugal, com variados tamanhos e tipologias, levadas ao Estado no período da Revolução Acreana e durante os chamados Ciclos da Borracha.

Na residência do suspeito, na capital Rio Branco (AC), foram cumpridos mandados de busca e apreensão, e a polícia localizou grande parte do material sob investigação. O homem foi preso em flagrante, e os materiais resgatados foram encaminhados para o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), que definirá o destino adequado para os objetos.

As investigações seguirão em andamento, segundo a Polícia Federal.

Últimas