Plataforma digital ajuda artesãos do DF a manterem vendas

Objetivo do aplicativo é manter o comércio destes profissionais durante o período de isolamento social imposto pela pandemia de coronavírus

App é parceria da Setur-DF e da Faarte-DF

App é parceria da Setur-DF e da Faarte-DF

Valter Campanato/ Agência Brasil

O artesanato do Distrito Federal ganhou um aliado para manter o comércio durante o período de isolamento social imposto pela pandemia de coronavírus.

O aplicativo Square City — uma plataforma de vendas online para artesãos, guias, passeios turísticos e vendedores locais — foi criado a partir de parceria entre Setur-DF (Secretaria de Turismo) e a Faarte/DF (Federação das Associações de Artesãos do DF e Entorno) e já conta com mais de 120 parceiros cadastrados.

Segundo a Setur, a previsão é que anúncios feitos no aplicativo também sejam veiculados em vitrines e lojas físicas de shoppings da cidade. O GDF (Governo do Distrito Federal) também ajuda na divulgação dos produtos e serviços com publicações em redes sociais. De acordo com o GDF, produtos de artesanato movimentaram cerca de R$ 870 mil em 2019.

Vendas online

A plataforma Square City não cobra nenhum tipo de taxa sobre produtos vendidos, um incentivo para pequenos empreendedores. A ferramenta cria lojas virtuais que podem ser achadas via QR Code — um tipo de código de barras que também serve para endereços da Internet —, que podem ser impressos em cartões ou anúncios. Após a aprovação do cadastro dos interessados em vender online, os profissionais podem criar os próprios espaços virtuais e divulgar os produtos.

Quarentena

As feiras permanentes estão liberadas para funcionar desde o início de abril. No entanto, a permissão é restrita para a comercialização exclusiva de alimentos de consumo humano ou animal. Para que fossem liberados ao público, esses espaços foram higienizados e desinfetados.

Os estabelecimentos comerciais que tiveram suas atividades suspensas após medidas de contenção do novo coronavírus continuam fechados até o dia 3 de maio. Para instituições de ensino públicas e particulares, o fechamento está determinado até o dia 31 de maio.